Novas receitas

Retorno da Exposição de Culinária de Taiwan

Retorno da Exposição de Culinária de Taiwan

A 'Cidade dos Lanches' de Taiwan apresentada na Exposição de Culinária de Taiwan

Tofu fedorento servido com vegetais em conserva é um prato típico de Taiwan apresentado na Exposição de Culinária de Taiwan em Taipei.

O anual Exposição de Culinária de Taiwan retorna a Taipei de 17 a 20 de agosto apresentando a comida e as receitas de Tainan, Lugang e Wanhua. Por 22 anos, a Exposição de Culinária de Taiwan apresentou a culinária taiwanesa ao mundo.

A Exposição Culinária de Taiwan deste ano inclui exposições de pratos icônicos de Tainan no sul de Taiwan, Lugang no centro de Taiwan e Wanhua, um distrito da capital no norte de Taiwan. O danzi mian de Tainan, um prato de macarrão com o nome da engenhoca de cesta e mastro usado por um pescador para vender o prato simples, o bolo de olho de fênix de arroz glutinoso de Lugang e os pratos exóticos de cobra de Wanhua servidos no Snake Alley Night Market serão todos apresentados no festival deste ano .

"Taiwan é uma joia escondida de incrível experiência culinária para nossos viajantes internacionais", disse Trust Lin, diretor do Taiwan Tourism Bureau em Los Angeles. "Nossa ilha tem uma grande variedade de arte culinária e história culinária única que vem com mais de três séculos de contos e histórias lendárias fascinantes."

Além da exposição de receitas, outros eventos da Exposição de Culinária de Taiwan incluem um showoff de cozinha com demonstrações culinárias de chefs da China continental, o Concurso de Culinária Doméstica que irá coroar o melhor chef de Taiwan e aulas de culinária com chefs famosos.

Além de promover o trio de guloseimas de Tainan, Lugang e Wanhua, os melhores pratos dos melhores hotéis e restaurantes de Taiwan serão exibidos, e degustações de frutas de Taichung no centro de Taiwan e papel comestível feito de brotos de bambu e chá Lugu de Nantou no centro de Taiwan fazem parte do evento de quatro dias. Uma apresentação sobre a cozinha vegana e a tradição culinária vegetariana de Taiwan e uma praça de alimentação cheia de iguarias taiwanesas completam as ofertas.


Esta comida de rua taiwanesa dobra em camadas de história, família e massa

Vivian Ku é a chef e dona de restaurante responsável por Joy em Highland Park e Pine and Crane em Silver Lake. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Comece o seu dia com LAist

Los Angeles é uma cidade que adora comida de rua. Tostadas de ceviche. Cães elote embrulhados em bacon. Tacos ao estilo Tijuana. Panquecas de mil camadas.

Resistir. Esse último. O quê?

É um lanche popular em Taiwan, onde é conhecido como cong zhua bing. É também a especialidade do Joy, um restaurante Highland Park de Vivian Ku, proprietário do Silver Lake's Pine and Crane. O local fofo do bairro na esquina da York com a Avenue 51 é especializado em comida de rua no estilo taiwanês, feita para agradar aos paladares do século 21 de Los Angeles e servida com uma dose de história.

Ku descreve a comida taiwanesa como uma mistura de influências do Japão, China e grupos nativos da ilha de quase 14.000 milhas quadradas. As raízes de sua família refletem essa mistura.

“O lado da minha mãe veio da parte norte da China durante a guerra civil, então macarrão, pãezinhos e potstickers, eram as coisas que o lado da família da minha mãe [comia]”, disse Ku. "O lado do meu pai é na verdade Hakka e eles são um subgrupo bem grande em Taiwan. Eles são tradicionalmente conhecidos por migrar extensivamente e por causa disso, eles curavam e salgavam muito."

A comida taiwanesa já é um alimento básico em Arcadia, Rowland Heights e Hacienda Heights, e está aparecendo mais em Irvine. Mas em Highland Park? Não muito.

Bebidas geladas e aperitivos leves abrem o cardápio do Joy. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Ku queria trazer um pedaço da culinária taiwanesa, especialmente seus lanches e comida de rua, para seu bairro.

"Muitas vezes, em um estande em Taiwan, você nem mesmo ficava para comer no local. Eles tinham essa sacolinha de papel e colocavam [a comida] na sacola e você andava com a sacola e lanche enquanto caminhava por aí ", diz ela.

Aperitivos frios geralmente começam uma refeição em Taiwan. A seleção de Joy inclui alguns dos favoritos de Ku. Amendoim refogado com molho de soja, vinho de arroz e gengibre. Uma seleção variável de saladas simples e geladas feitas com cogumelos orelha-de-pau ou raiz de lótus. Fatias de pão de cebolinha, aromatizado com cebolinha e coberto com sementes de gergelim.

“Essa era a coisa que meu avô pedia por pão o tempo todo e então ele simplesmente comia e fazia um lanche, almoço, jantar, café da manhã, no dia seguinte”, diz ela.

Para acompanhar qualquer um desses, você pode saborear um slushee de abacaxi sazonal, feito com geléia de abacaxi para intensificar o sabor. Para maiores de 21 anos, há também uma versão embriagada com saquê.

Os pratos estão com preços razoáveis. Somente itens grandes e combos custam mais de $ 10.

“Nós nos vemos como parte da vizinhança, então, para nós, isso significa que as pessoas podem entrar [e] sentir que fazer uma refeição aqui não vai prejudicar suas carteiras”, disse Ku.

Joy está localizada no mesmo local onde a Elsa's Bakery esteve por décadas, até que fechou em outubro de 2018. Ku queria homenagear a instituição do bairro, cujos proprietários agora são seus proprietários, então ela deixou a placa da Elsa's Bakery pendurada do lado de fora do restaurante. Ela também vende biscoitos de casamento mexicanos e doa os lucros para instituições de caridade locais, como a Optimist Youth Homes e AMP Youth Arts.

Os pãezinhos com barriga de porco são um alimento de rua taiwanês básico do chef Vivian Ku & # x27s restaurante Joy. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Os pratos principais do Joy incluem sopa vegetariana quente e azeda, sopa de camarão wonton, macarrão dan dan com frango jidori e frango com chiayi e arroz. Há também barriga de porco em um pão macio de concha. O apelido do prato, hu yao zhu, se traduz como "tigre morde porco" porque tem a forma de uma boca de tigre mastigando fatias de barriga de porco marinada, de acordo com Ku. Ela também faz versões do produto com carne e coalhada de feijão vegana.

A especialidade da casa no Joy é a panqueca de mil camadas, um grande círculo de camadas aparentemente intermináveis ​​de massa fina como papel que foi esticada e dobrada usando a mesma técnica que dá aos croissants suas camadas escamosas (laminação, se você observar The Great British Baking Show) Um dos pratos mais populares de Joy, este delicioso disco de massa pode ser carregado com ovo, queijo e molho de pimenta para fazer um burrito de café da manhã taiwanês.

Com recheio de ovo, queijo e molho de pimenta, uma foto pode fazer justiça a camadas de delícias dessa panqueca (Foto de Emily Henderson / LAist)

Não se esqueça do macarrão de baixa temporada, coberto com carne de porco, chalotas fritas e um só camarão, nem mais, nem menos. A guarnição tem significado histórico.

“Quando era muito perigoso ir pescar por causa da temporada de tufões, eles tinham muito poucos frutos do mar à mão, então tentavam obter tudo o que podiam dos frutos do mar que tinham”, diz Ku. "É sempre servido com um único camarão, mas você também usa a casca e a cabeça do camarão para fazer o caldo."

O único camarão no topo do Joy & # x27s Slack Season Noodles tem uma história de fundo. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Histórias como essas estão embutidas em muitos dos pratos de Joy. Ku retorna frequentemente a Taiwan, onde suas descobertas culinárias e as memórias da comida de sua família inspiram seus cardápios em Los Angeles. Compartilhar essas narrativas faz parte de sua missão.

"Uma das coisas mais gratificantes sobre a abertura deste restaurante, até agora, foi quando conseguimos trazer um grupo diversificado de pessoas e, em seguida, fazê-los comer algo especificamente taiwanês", disse Ku. "A justaposição me deixa muito animado."

Nota do Editor: Uma versão anterior referia-se à abertura de Joy "como parte da implacável gentrificação de Highland Park". Removemos essa frase. Sim, Highland Park está passando por uma gentrificação implacável, mas os proprietários anteriores do espaço onde Joy abriu não foram forçados a sair devido à gentrificação.


Esta comida de rua taiwanesa dobra em camadas de história, família e massa

Vivian Ku é a chef e dona de restaurante responsável por Joy em Highland Park e Pine and Crane em Silver Lake. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Comece o seu dia com LAist

Los Angeles é uma cidade que adora comida de rua. Tostadas de ceviche. Cães elote embrulhados em bacon. Tacos ao estilo Tijuana. Panquecas de mil camadas.

Resistir. Esse último. O quê?

É um lanche popular em Taiwan, onde é conhecido como cong zhua bing. É também a especialidade do Joy, um restaurante Highland Park de Vivian Ku, proprietário do Silver Lake's Pine and Crane. O local bonito do bairro na esquina da York com a Avenue 51 é especializado em comida de rua no estilo taiwanês, feita para agradar aos paladares do século 21 de Los Angeles e servida com uma dose de história.

Ku descreve a comida taiwanesa como uma mistura de influências do Japão, China e grupos nativos da ilha de quase 14.000 milhas quadradas. As raízes de sua família refletem essa mistura.

“O lado da minha mãe veio da parte norte da China durante a guerra civil, então macarrão, pãezinhos e potstickers, eram as coisas que o lado da família da minha mãe [comia]”, disse Ku. “O lado do meu pai é na verdade Hakka e eles são um subgrupo bem grande em Taiwan. Eles são tradicionalmente conhecidos por migrar extensivamente e por causa disso, eles curaram e salgaram bastante”.

A comida taiwanesa já é um alimento básico em Arcadia, Rowland Heights e Hacienda Heights, e está aparecendo mais em Irvine. Mas em Highland Park? Não muito.

Bebidas geladas e aperitivos leves abrem o cardápio do Joy. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Ku queria trazer uma fatia da culinária taiwanesa, especialmente seus lanches e comida de rua, para seu bairro.

"Muitas vezes, em um estande em Taiwan, você nem mesmo ficava para comer no local. Eles tinham essa sacolinha de papel e colocavam [a comida] na sacola e você andava com a sacola e lanche enquanto caminhava por aí ", diz ela.

Aperitivos frios geralmente começam uma refeição em Taiwan. A seleção de Joy inclui alguns dos favoritos de Ku. Amendoim refogado com molho de soja, vinho de arroz e gengibre. Uma seleção variável de saladas simples e geladas feitas com cogumelos orelha-de-pau ou raiz de lótus. Fatias de pão de cebolinha, aromatizado com cebolinha e coberto com sementes de gergelim.

“Essa era a coisa que meu avô pedia por pão o tempo todo e então ele simplesmente comia e fazia um lanche, almoço, jantar, café da manhã, no dia seguinte”, diz ela.

Para acompanhar qualquer um desses, você pode saborear um slushee de abacaxi sazonal, feito com geléia de abacaxi para intensificar o sabor. Para maiores de 21 anos, há também uma versão embriagada com saquê.

Os pratos estão com preços razoáveis. Apenas itens grandes e combos custam mais de $ 10.

“Nós nos vemos como parte da vizinhança, então, para nós, isso significa que as pessoas podem entrar [e] sentir que fazer uma refeição aqui não vai prejudicar suas carteiras”, disse Ku.

Joy está localizada no mesmo local onde a Elsa's Bakery esteve por décadas, até que fechou em outubro de 2018. Ku queria homenagear a instituição do bairro, cujos proprietários agora são seus proprietários, então ela deixou a placa da Elsa's Bakery pendurada do lado de fora do restaurante. Ela também vende biscoitos de casamento mexicanos e doa os lucros para instituições de caridade locais, como a Optimist Youth Homes e AMP Youth Arts.

Os pãezinhos com barriga de porco são um alimento de rua taiwanês básico do chef Vivian Ku & # x27s restaurante Joy. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Os pratos principais do Joy incluem sopa vegetariana quente e azeda, sopa de camarão wonton, macarrão dan dan com frango jidori e frango com chiayi e arroz. Há também barriga de porco em um pão macio de concha. O apelido do prato, hu yao zhu, se traduz como "tigre morde porco" porque tem a forma de uma boca de tigre mastigando fatias de barriga de porco marinada, de acordo com Ku. Ela também faz versões do produto com carne e coalhada de feijão vegana.

A especialidade da casa no Joy é a panqueca de mil camadas, um grande círculo de camadas aparentemente intermináveis ​​de massa fina como papel que foi esticada e dobrada usando a mesma técnica que dá aos croissants suas camadas escamosas (laminação, se você observar The Great British Baking Show) Um dos pratos mais populares de Joy, este delicioso disco de massa pode ser carregado com ovo, queijo e molho de pimenta para fazer um burrito de café da manhã taiwanês.

Com recheio de ovo, queijo e molho de pimenta, uma foto pode fazer justiça a camadas de delícias dessa panqueca (Foto de Emily Henderson / LAist)

Não se esqueça do macarrão de baixa temporada, coberto com carne de porco, chalotas fritas e um só camarão, nem mais, nem menos. A guarnição tem significado histórico.

“Quando era muito perigoso ir pescar por causa da temporada de tufões, eles tinham muito poucos frutos do mar à mão, então tentavam obter tudo o que podiam dos frutos do mar que tinham”, diz Ku. "É sempre servido com um único camarão, mas você também usa a casca e a cabeça do camarão para fazer o caldo."

O único camarão no topo do Joy & # x27s Slack Season Noodles tem uma história de fundo. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Histórias como essas estão embutidas em muitos dos pratos de Joy. Ku retorna frequentemente a Taiwan, onde suas descobertas culinárias e as memórias da comida de sua família inspiram seus cardápios em Los Angeles. Compartilhar essas narrativas faz parte de sua missão.

"Uma das coisas mais gratificantes sobre a abertura deste restaurante, até agora, foi quando conseguimos trazer um grupo diversificado de pessoas e, em seguida, fazê-los comer algo especificamente taiwanês", disse Ku. "A justaposição me deixa muito animado."

Nota do Editor: Uma versão anterior referia-se à abertura de Joy "como parte da implacável gentrificação de Highland Park". Removemos essa frase. Sim, Highland Park está passando por uma gentrificação implacável, mas os proprietários anteriores do espaço onde Joy abriu não foram forçados a sair devido à gentrificação.


Esta comida de rua taiwanesa dobra em camadas de história, família e massa

Vivian Ku é a chef e dona de restaurante responsável por Joy em Highland Park e Pine and Crane em Silver Lake. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Comece o seu dia com LAist

Los Angeles é uma cidade que adora comida de rua. Tostadas de ceviche. Cães elote embrulhados em bacon. Tacos ao estilo Tijuana. Panquecas de mil camadas.

Resistir. Esse último. O quê?

É um lanche popular em Taiwan, onde é conhecido como cong zhua bing. É também a especialidade do Joy, um restaurante Highland Park de Vivian Ku, proprietário do Silver Lake's Pine and Crane. O local fofo do bairro na esquina da York com a Avenue 51 é especializado em comida de rua no estilo taiwanês, feita para agradar aos paladares do século 21 de Los Angeles e servida com uma dose de história.

Ku descreve a comida taiwanesa como uma mistura de influências do Japão, China e grupos nativos da ilha de quase 14.000 milhas quadradas. As raízes de sua família refletem essa mistura.

“O lado da minha mãe veio da parte norte da China durante a guerra civil, então macarrão e pãezinhos e potstickers, eram as coisas que o lado da família da minha mãe [comia]”, disse Ku. "O lado do meu pai é na verdade Hakka e eles são um subgrupo bem grande em Taiwan. Eles são tradicionalmente conhecidos por migrar extensivamente e por causa disso, eles curavam e salgavam muito."

A comida taiwanesa já é um alimento básico em Arcadia, Rowland Heights e Hacienda Heights, e está aparecendo mais em Irvine. Mas em Highland Park? Não muito.

Bebidas geladas e aperitivos leves abrem o cardápio do Joy. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Ku queria trazer um pedaço da culinária taiwanesa, especialmente seus lanches e comida de rua, para seu bairro.

"Muitas vezes, em um estande em Taiwan, você nem mesmo ficava para comer no local. Eles tinham essa sacolinha de papel e colocavam [a comida] na sacola e você andava com a sacola e lanche enquanto caminhava por aí ", diz ela.

Aperitivos frios geralmente começam uma refeição em Taiwan. A seleção de Joy inclui alguns dos favoritos de Ku. Amendoim refogado com molho de soja, vinho de arroz e gengibre. Uma seleção variável de saladas simples e geladas feitas com cogumelos orelha-de-pau ou raiz de lótus. Fatias de pão de cebolinha, aromatizado com cebolinha e coberto com sementes de gergelim.

“Essa era a coisa que meu avô pedia por pão o tempo todo e então ele simplesmente comia e fazia um lanche, almoço, jantar, café da manhã, no dia seguinte”, diz ela.

Para acompanhar qualquer um desses, você pode saborear um slushee de abacaxi sazonal, feito com geléia de abacaxi para intensificar o sabor. Para maiores de 21 anos, há também uma versão embriagada com saquê.

Os pratos estão com preços razoáveis. Apenas itens grandes e combos custam mais de $ 10.

“Nós nos vemos como parte da vizinhança, então, para nós, isso significa que as pessoas podem entrar [e] sentir que fazer uma refeição aqui não vai prejudicar suas carteiras”, disse Ku.

Joy está localizada no mesmo local onde a Elsa's Bakery esteve por décadas, até que fechou em outubro de 2018. Ku queria homenagear a instituição do bairro, cujos proprietários agora são seus proprietários, então ela deixou a placa da Elsa's Bakery pendurada do lado de fora do restaurante. Ela também vende biscoitos de casamento mexicanos e doa os lucros para instituições de caridade locais, como a Optimist Youth Homes e AMP Youth Arts.

Os pãezinhos com barriga de porco são um alimento de rua taiwanês básico do chef Vivian Ku & # x27s restaurante Joy. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Os pratos principais do Joy incluem sopa vegetariana quente e azeda, sopa de camarão wonton, macarrão dan dan com frango jidori e frango com chiayi e arroz. Há também barriga de porco em um pão macio de concha. O apelido do prato, hu yao zhu, se traduz como "tigre morde porco" porque tem a forma de uma boca de tigre mastigando fatias de barriga de porco marinada, de acordo com Ku. Ela também faz versões do produto com carne e coalhada de feijão vegana.

A especialidade da casa no Joy é a panqueca de mil camadas, um grande círculo de camadas aparentemente intermináveis ​​de massa fina como papel que foi esticada e dobrada usando a mesma técnica que dá aos croissants suas camadas escamosas (laminação, se você observar The Great British Baking Show) Um dos pratos mais populares de Joy, este delicioso disco de massa pode ser carregado com ovo, queijo e molho de pimenta para fazer um burrito de café da manhã taiwanês.

Com recheio de ovo, queijo e molho de pimenta, uma foto pode fazer justiça a camadas de delícias dessa panqueca (Foto de Emily Henderson / LAist)

Não se esqueça do macarrão de baixa temporada, coberto com carne de porco, chalotas fritas e um só camarão, nem mais, nem menos. A guarnição tem um significado histórico.

“Quando era muito perigoso ir pescar por causa da temporada de tufões, eles tinham muito poucos frutos do mar à mão, então tentavam obter tudo o que podiam dos frutos do mar que tinham”, diz Ku. "É sempre servido com um único camarão, mas você também usa a casca e a cabeça do camarão para fazer o caldo."

O único camarão no topo do Joy & # x27s Slack Season Noodles tem uma história de fundo. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Histórias como essas estão embutidas em muitos dos pratos de Joy. Ku retorna frequentemente a Taiwan, onde suas descobertas culinárias e as memórias da comida de sua família inspiram seus cardápios em Los Angeles. Compartilhar essas narrativas faz parte de sua missão.

"Uma das coisas mais gratificantes sobre a abertura deste restaurante, até agora, foi quando conseguimos trazer um grupo diversificado de pessoas e, em seguida, fazê-los comer algo especificamente taiwanês", disse Ku. "A justaposição me deixa muito animado."

Nota do Editor: Uma versão anterior referia-se à abertura de Joy "como parte da implacável gentrificação de Highland Park". Removemos essa frase. Sim, Highland Park está passando por uma gentrificação implacável, mas os proprietários anteriores do espaço onde Joy abriu não foram forçados a sair devido à gentrificação.


Esta comida de rua taiwanesa dobra em camadas de história, família e massa

Vivian Ku é a chef e dona de restaurante responsável por Joy em Highland Park e Pine and Crane em Silver Lake. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Comece o seu dia com LAist

Los Angeles é uma cidade que adora comida de rua. Tostadas de ceviche. Cães elote embrulhados em bacon. Tacos ao estilo Tijuana. Panquecas de mil camadas.

Resistir. Esse último. O quê?

É um lanche popular em Taiwan, onde é conhecido como cong zhua bing. É também a especialidade do Joy, um restaurante Highland Park de Vivian Ku, proprietário do Silver Lake's Pine and Crane. O local fofo do bairro na esquina da York com a Avenue 51 é especializado em comida de rua no estilo taiwanês, feita para agradar aos paladares do século 21 de Los Angeles e servida com uma dose de história.

Ku descreve a comida taiwanesa como uma mistura de influências do Japão, China e grupos nativos da ilha de quase 14.000 milhas quadradas. As raízes de sua família refletem essa mistura.

“O lado da minha mãe veio da parte norte da China durante a guerra civil, então macarrão, pãezinhos e potstickers, eram as coisas que o lado da família da minha mãe [comia]”, disse Ku. "O lado do meu pai é na verdade Hakka e eles são um subgrupo bem grande em Taiwan. Eles são tradicionalmente conhecidos por migrar extensivamente e por causa disso, eles curavam e salgavam muito."

A comida taiwanesa já é um alimento básico em Arcadia, Rowland Heights e Hacienda Heights, e está aparecendo mais em Irvine. Mas em Highland Park? Não muito.

Bebidas geladas e aperitivos leves abrem o cardápio do Joy. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Ku queria trazer uma fatia da culinária taiwanesa, especialmente seus lanches e comida de rua, para seu bairro.

"Muitas vezes, em um estande em Taiwan, você nem mesmo ficava para comer no local. Eles tinham essa sacolinha de papel e colocavam [a comida] na sacola e você andava com a sacola e lanche enquanto caminhava por aí ", diz ela.

Aperitivos frios geralmente começam uma refeição em Taiwan. A seleção de Joy inclui alguns dos favoritos de Ku. Amendoim refogado com molho de soja, vinho de arroz e gengibre. Uma seleção variável de saladas simples e geladas feitas com cogumelos orelha-de-pau ou raiz de lótus. Fatias de pão de cebolinha, aromatizado com cebolinha e coberto com sementes de gergelim.

“Essa era a coisa que meu avô pedia por pão o tempo todo e então ele simplesmente comia e fazia um lanche, almoço, jantar, café da manhã, no dia seguinte”, diz ela.

Para acompanhar qualquer um desses, você pode saborear um slushee de abacaxi sazonal, feito com geléia de abacaxi para intensificar o sabor. Para maiores de 21 anos, há também uma versão embriagada com saquê.

Os pratos estão com preços razoáveis. Somente itens grandes e combos custam mais de $ 10.

“Nós nos vemos como parte da vizinhança, então, para nós, isso significa que as pessoas podem entrar [e] sentir que fazer uma refeição aqui não vai prejudicar suas carteiras”, disse Ku.

Joy está localizada no mesmo local onde a Elsa's Bakery esteve por décadas, até que fechou em outubro de 2018. Ku queria homenagear a instituição do bairro, cujos proprietários agora são seus proprietários, então ela deixou a placa da Elsa's Bakery pendurada do lado de fora do restaurante. Ela também vende biscoitos de casamento mexicanos e doa os lucros para instituições de caridade locais, como a Optimist Youth Homes e AMP Youth Arts.

Os pãezinhos de barriga de porco são um alimento de rua taiwanês básico do chef Vivian Ku & # x27s restaurante Joy. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Os pratos principais do Joy incluem sopa vegetariana quente e azeda, sopa de camarão wonton, macarrão dan dan com frango jidori e frango com chiayi e arroz. Há também barriga de porco em um pão macio de concha. O apelido do prato, hu yao zhu, se traduz como "tigre morde porco" porque tem a forma de uma boca de tigre mastigando fatias de barriga de porco marinada, de acordo com Ku. Ela também faz versões do produto com carne e coalhada de feijão vegana.

A especialidade da casa no Joy é a panqueca de mil camadas, um grande círculo de camadas aparentemente intermináveis ​​de massa fina como papel que foi esticada e dobrada usando a mesma técnica que dá aos croissants suas camadas escamosas (laminação, se você observar The Great British Baking Show) Um dos pratos mais populares de Joy, este delicioso disco de massa pode ser carregado com ovo, queijo e molho de pimenta para fazer um burrito de café da manhã taiwanês.

Com recheio de ovo, queijo e molho de pimenta, uma foto pode fazer justiça a camadas de delícias dessa panqueca (Foto de Emily Henderson / LAist)

Não se esqueça do macarrão de baixa temporada, coberto com carne de porco, chalotas fritas e um só camarão, nem mais, nem menos. A guarnição tem um significado histórico.

“Quando era muito perigoso ir pescar por causa da temporada de tufões, eles tinham muito poucos frutos do mar à mão, então tentavam obter tudo o que podiam dos frutos do mar que tinham”, diz Ku. "É sempre servido com um único camarão, mas você também usa a casca e a cabeça do camarão para fazer o caldo."

O único camarão no topo do Joy & # x27s Slack Season Noodles tem uma história de fundo. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Histórias como essas estão embutidas em muitos dos pratos de Joy. Ku retorna frequentemente a Taiwan, onde suas descobertas culinárias e as memórias da comida de sua família inspiram seus cardápios em Los Angeles. Compartilhar essas narrativas faz parte de sua missão.

"Uma das coisas mais gratificantes sobre a abertura deste restaurante, até agora, foi quando conseguimos trazer um grupo diversificado de pessoas e, em seguida, fazê-los comer algo especificamente taiwanês", disse Ku. "A justaposição me deixa muito animado."

Nota do Editor: Uma versão anterior referia-se à abertura de Joy "como parte da implacável gentrificação de Highland Park". Removemos essa frase. Sim, Highland Park está passando por uma gentrificação implacável, mas os proprietários anteriores do espaço onde Joy abriu não foram forçados a sair devido à gentrificação.


Esta comida de rua taiwanesa dobra em camadas de história, família e massa

Vivian Ku é a chef e dona de restaurante responsável por Joy em Highland Park e Pine and Crane em Silver Lake. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Comece o seu dia com LAist

Los Angeles é uma cidade que adora comida de rua. Tostadas de ceviche. Cães elote embrulhados em bacon. Tacos ao estilo Tijuana. Panquecas de mil camadas.

Resistir. Esse último. O quê?

É um lanche popular em Taiwan, onde é conhecido como cong zhua bing. É também a especialidade do Joy, um restaurante Highland Park de Vivian Ku, proprietário do Silver Lake's Pine and Crane. O local bonito do bairro na esquina da York com a Avenue 51 é especializado em comida de rua no estilo taiwanês, feita para agradar aos paladares do século 21 de Los Angeles e servida com uma dose de história.

Ku descreve a comida taiwanesa como uma mistura de influências do Japão, China e grupos nativos da ilha de quase 14.000 milhas quadradas. As raízes de sua família refletem essa mistura.

“O lado da minha mãe veio da parte norte da China durante a guerra civil, então macarrão e pãezinhos e potstickers, eram as coisas que o lado da família da minha mãe [comia]”, disse Ku. "O lado do meu pai é na verdade Hakka e eles são um subgrupo bem grande em Taiwan. Eles são tradicionalmente conhecidos por migrar extensivamente e por causa disso, eles curavam e salgavam muito."

A comida taiwanesa já é um alimento básico em Arcadia, Rowland Heights e Hacienda Heights, e está aparecendo mais em Irvine. Mas em Highland Park? Não muito.

Bebidas geladas e aperitivos leves abrem o cardápio do Joy. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Ku queria trazer um pedaço da culinária taiwanesa, especialmente seus lanches e comida de rua, para seu bairro.

"Muitas vezes, em um estande em Taiwan, você nem mesmo ficava para comer no local. Eles tinham essa sacolinha de papel e colocavam [a comida] na sacola e você andava com a sacola e lanche enquanto caminhava por aí ", diz ela.

Aperitivos frios geralmente começam uma refeição em Taiwan. A seleção de Joy inclui alguns dos favoritos de Ku. Amendoim refogado com molho de soja, vinho de arroz e gengibre. Uma seleção variável de saladas simples e geladas feitas com cogumelos orelha-de-pau ou raiz de lótus. Fatias de pão de cebolinha, aromatizado com cebolinha e coberto com sementes de gergelim.

“Essa era a coisa que meu avô pedia por pão o tempo todo e então ele simplesmente comia e fazia um lanche, almoço, jantar, café da manhã, no dia seguinte”, diz ela.

Para acompanhar qualquer um desses, você pode saborear um slushee de abacaxi sazonal, feito com geléia de abacaxi para intensificar o sabor. Para maiores de 21 anos, há também uma versão embriagada com saquê.

Os pratos estão com preços razoáveis. Apenas itens grandes e combos custam mais de $ 10.

“Nós nos vemos como parte da vizinhança, então, para nós, isso significa que as pessoas podem entrar [e] sentir que fazer uma refeição aqui não vai prejudicar suas carteiras”, disse Ku.

Joy está localizada no mesmo local onde a Elsa's Bakery esteve por décadas, até que fechou em outubro de 2018. Ku queria homenagear a instituição do bairro, cujos proprietários agora são seus proprietários, então ela deixou a placa da Elsa's Bakery pendurada do lado de fora do restaurante. Ela também vende biscoitos de casamento mexicanos e doa os lucros para instituições de caridade locais, como a Optimist Youth Homes e AMP Youth Arts.

Os pãezinhos com barriga de porco são um alimento de rua taiwanês básico do chef Vivian Ku & # x27s restaurante Joy. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Os pratos principais do Joy incluem sopa vegetariana quente e azeda, sopa de camarão wonton, macarrão dan dan com frango jidori e frango com chiayi e arroz. Há também barriga de porco em um pão macio de concha. O apelido do prato, hu yao zhu, se traduz como "tigre morde porco" porque tem a forma de uma boca de tigre mastigando fatias de barriga de porco marinada, de acordo com Ku. Ela também faz versões do produto com carne e coalhada de feijão vegana.

A especialidade da casa no Joy é a panqueca de mil camadas, um grande círculo de camadas aparentemente intermináveis ​​de massa fina como papel que foi esticada e dobrada usando a mesma técnica que dá aos croissants suas camadas escamosas (laminação, se você observar The Great British Baking Show) Um dos pratos mais populares de Joy, este delicioso disco de massa pode ser carregado com ovo, queijo e molho de pimenta para fazer um burrito de café da manhã taiwanês.

Com recheio de ovo, queijo e molho de pimenta, uma foto pode fazer justiça a camadas de delícias dessa panqueca (Foto de Emily Henderson / LAist)

Não se esqueça do macarrão de baixa temporada, coberto com carne de porco, chalotas fritas e um só camarão, nem mais, nem menos. A guarnição tem significado histórico.

“Quando era muito perigoso ir pescar por causa da temporada de tufões, eles tinham muito poucos frutos do mar à mão, então tentavam obter tudo o que podiam dos frutos do mar que tinham”, diz Ku. "É sempre servido com um único camarão, mas você também usa a casca e a cabeça do camarão para fazer o caldo."

O único camarão no topo do Joy & # x27s Slack Season Noodles tem uma história de fundo. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Histórias como essas estão embutidas em muitos dos pratos de Joy. Ku retorna frequentemente a Taiwan, onde suas descobertas culinárias e as memórias da comida de sua família inspiram seus cardápios em Los Angeles. Compartilhar essas narrativas faz parte de sua missão.

"Uma das coisas mais gratificantes sobre a abertura deste restaurante, até agora, foi quando conseguimos trazer um grupo diversificado de pessoas e, em seguida, fazê-los comer algo especificamente taiwanês", disse Ku. "A justaposição me deixa muito animado."

Nota do Editor: Uma versão anterior referia-se à abertura de Joy "como parte da implacável gentrificação de Highland Park". Removemos essa frase. Sim, Highland Park está passando por uma gentrificação implacável, mas os proprietários anteriores do espaço onde Joy abriu não foram forçados a sair devido à gentrificação.


Esta comida de rua taiwanesa dobra em camadas de história, família e massa

Vivian Ku é a chef e dona de restaurante responsável por Joy em Highland Park e Pine and Crane em Silver Lake. (Foto de Emily Henderson / LAist)

Comece o seu dia com LAist

Los Angeles é uma cidade que adora comida de rua. Tostadas de ceviche. Bacon-wrapped elote dogs. Tijuana-style tacos. Thousand layer pancakes.

Resistir. That last one. whaaaaaat?

It's a popular snack in Taiwan, where it's known as cong zhua bing. It's also the specialty at Joy, a year-old Highland Park restaurant from Vivian Ku, owner of Silver Lake's Pine and Crane. The cute, neighborhood spot at the corner of York and Avenue 51 specializes in Taiwanese-style street food, made to suit 21st century L.A. palates and served with a dose of history.

Ku describes Taiwanese food as a blend of influences from Japan, China and groups indigenous to the nearly 14,000-square-mile island. Her family's roots reflect that mix.

"My mom's side came from the northern part of China during the civil war, so noodles and buns and potstickers, that was the stuff that my mom's side of the family all [ate]," Ku says. "My dad's side is actually Hakka and they're a pretty big subgroup in Taiwan. They're traditionally known to migrate extensively and because of that, they did a lot of curing and salting."

Taiwanese food is already a staple in Arcadia, Rowland Heights and Hacienda Heights, and it's showing up more in Irvine. But in Highland Park? Não muito.

Cold drinks and light appetizers kick off the menu at Joy. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Ku wanted to bring a slice of Taiwanese cuisine, especially its snacks and street food, to her neighborhood.

"Oftentimes at a stand in Taiwan, you wouldn't even stay and eat at the spot. They would have this little paper bag and they would put [the food] in the bag and you would walk with the bag and snack as you walk around," she says.

Cold appetizers often begin a meal in Taiwan. Joy's selection includes a few of Ku's favorites. Peanuts braised with soy sauce, rice wine and ginger. A changing selection of simple, chilled salads made with wood ear mushrooms or lotus root. Slices of scallion bread, flavored with green onions and topped with sesame seeds.

"This was the thing that my grandfather ordered by the loaf all the time and then he would just have it and snack on it through, lunch, dinner, breakfast, the next day," she says.

To go with any of these, you can sip a seasonal pineapple slushee, made with pineapple jam to intensify the flavor. For those 21 and up, there's also a boozy version, spiked with sake.

The dishes are reasonably priced. Only large items and combos cost more than $10.

"We see ourselves as part of the neighborhood so to us that means people can come in [and] feel like it's not going to hurt their wallet having a meal here," Ku says.

Joy is located in the same spot where Elsa's Bakery stood for decades, until it closed in October 2018. Ku wanted to pay homage to the neighborhood institution, whose owners are now her landlords, so she left the Elsa's Bakery sign hanging outside the restaurant. She also sells Mexican wedding cookies and donates the proceeds to local charities such as Optimist Youth Homes and AMP Youth Arts.

The pork belly clamshell buns are one Taiwanese street food staple from chef Vivian Ku's restaurant, Joy. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Main dishes at Joy include vegetarian hot and sour soup, shrimp wonton soup, dan dan noodles with jidori chicken and chiayi chicken and rice. There's also pork belly in a soft, clamshell bun. The dish's nickname, hu yao zhu, translates to "tiger bites pig" because it's shaped like a tiger's mouth chomping on slices of marinated pork belly, according to Ku. She also makes beef and vegan bean curd versions of the item.

The house specialty at Joy is the thousand layer pancake, a large circle of seemingly endless layers of paper-thin dough that has been stretched and folded using the same technique that gives croissants their flaky layers (lamination, if you watch The Great British Baking Show) One of Joy's most popular dishes, this delicious disc of dough can be loaded with egg, cheese and chili sauce to make a Taiwanese breakfast burrito.

With a filling of egg, cheese and chili sauce, a photo can't do justice to this pancake's layers of deliciousness (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Don't forget the slack season noodles, topped with pork, fried shallots and a single shrimp, no more, no less. The garnish has historical significance.

"When it was too dangerous to go fishing because of typhoon season, they had very little seafood on hand, so they tried to get everything they could from the seafood they had," Ku says. "It's always served with a single shrimp but you also use the shrimp shells and the shrimp head to make the stock."

The single shrimp on top of Joy's Slack Season Noodles has a historic backstory. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Stories like these are embedded in many of Joy's dishes. Ku returns often to Taiwan, where her culinary discoveries and the memories of her family's food inspire her menus back in Los Angeles. Sharing those narratives is part of her mission.

"One of the most rewarding things about opening this restaurant, so far, has been when we're able to bring in a diverse group of people and then have them eat something very specifically Taiwanese," Ku says. "The juxtaposition makes me very excited."

Editor's Note: An earlier version referred to the opening of Joy "as part of Highland Park's relentless gentrification." We have removed that phrase. Yes, Highland Park is undergoing relentless gentrification but the previous owners of the space where Joy opened were not forced out due to gentrification.


This Taiwanese Street Food Folds In Layers of History, Family And Dough

Vivian Ku is the chef and restauranteur behind Joy in Highland Park and Pine and Crane in Silver Lake. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Start your day with LAist

Los Angeles is a city that loves its street food. Tostadas de ceviche. Bacon-wrapped elote dogs. Tijuana-style tacos. Thousand layer pancakes.

Resistir. That last one. whaaaaaat?

It's a popular snack in Taiwan, where it's known as cong zhua bing. It's also the specialty at Joy, a year-old Highland Park restaurant from Vivian Ku, owner of Silver Lake's Pine and Crane. The cute, neighborhood spot at the corner of York and Avenue 51 specializes in Taiwanese-style street food, made to suit 21st century L.A. palates and served with a dose of history.

Ku describes Taiwanese food as a blend of influences from Japan, China and groups indigenous to the nearly 14,000-square-mile island. Her family's roots reflect that mix.

"My mom's side came from the northern part of China during the civil war, so noodles and buns and potstickers, that was the stuff that my mom's side of the family all [ate]," Ku says. "My dad's side is actually Hakka and they're a pretty big subgroup in Taiwan. They're traditionally known to migrate extensively and because of that, they did a lot of curing and salting."

Taiwanese food is already a staple in Arcadia, Rowland Heights and Hacienda Heights, and it's showing up more in Irvine. But in Highland Park? Não muito.

Cold drinks and light appetizers kick off the menu at Joy. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Ku wanted to bring a slice of Taiwanese cuisine, especially its snacks and street food, to her neighborhood.

"Oftentimes at a stand in Taiwan, you wouldn't even stay and eat at the spot. They would have this little paper bag and they would put [the food] in the bag and you would walk with the bag and snack as you walk around," she says.

Cold appetizers often begin a meal in Taiwan. Joy's selection includes a few of Ku's favorites. Peanuts braised with soy sauce, rice wine and ginger. A changing selection of simple, chilled salads made with wood ear mushrooms or lotus root. Slices of scallion bread, flavored with green onions and topped with sesame seeds.

"This was the thing that my grandfather ordered by the loaf all the time and then he would just have it and snack on it through, lunch, dinner, breakfast, the next day," she says.

To go with any of these, you can sip a seasonal pineapple slushee, made with pineapple jam to intensify the flavor. For those 21 and up, there's also a boozy version, spiked with sake.

The dishes are reasonably priced. Only large items and combos cost more than $10.

"We see ourselves as part of the neighborhood so to us that means people can come in [and] feel like it's not going to hurt their wallet having a meal here," Ku says.

Joy is located in the same spot where Elsa's Bakery stood for decades, until it closed in October 2018. Ku wanted to pay homage to the neighborhood institution, whose owners are now her landlords, so she left the Elsa's Bakery sign hanging outside the restaurant. She also sells Mexican wedding cookies and donates the proceeds to local charities such as Optimist Youth Homes and AMP Youth Arts.

The pork belly clamshell buns are one Taiwanese street food staple from chef Vivian Ku's restaurant, Joy. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Main dishes at Joy include vegetarian hot and sour soup, shrimp wonton soup, dan dan noodles with jidori chicken and chiayi chicken and rice. There's also pork belly in a soft, clamshell bun. The dish's nickname, hu yao zhu, translates to "tiger bites pig" because it's shaped like a tiger's mouth chomping on slices of marinated pork belly, according to Ku. She also makes beef and vegan bean curd versions of the item.

The house specialty at Joy is the thousand layer pancake, a large circle of seemingly endless layers of paper-thin dough that has been stretched and folded using the same technique that gives croissants their flaky layers (lamination, if you watch The Great British Baking Show) One of Joy's most popular dishes, this delicious disc of dough can be loaded with egg, cheese and chili sauce to make a Taiwanese breakfast burrito.

With a filling of egg, cheese and chili sauce, a photo can't do justice to this pancake's layers of deliciousness (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Don't forget the slack season noodles, topped with pork, fried shallots and a single shrimp, no more, no less. The garnish has historical significance.

"When it was too dangerous to go fishing because of typhoon season, they had very little seafood on hand, so they tried to get everything they could from the seafood they had," Ku says. "It's always served with a single shrimp but you also use the shrimp shells and the shrimp head to make the stock."

The single shrimp on top of Joy's Slack Season Noodles has a historic backstory. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Stories like these are embedded in many of Joy's dishes. Ku returns often to Taiwan, where her culinary discoveries and the memories of her family's food inspire her menus back in Los Angeles. Sharing those narratives is part of her mission.

"One of the most rewarding things about opening this restaurant, so far, has been when we're able to bring in a diverse group of people and then have them eat something very specifically Taiwanese," Ku says. "The juxtaposition makes me very excited."

Editor's Note: An earlier version referred to the opening of Joy "as part of Highland Park's relentless gentrification." We have removed that phrase. Yes, Highland Park is undergoing relentless gentrification but the previous owners of the space where Joy opened were not forced out due to gentrification.


This Taiwanese Street Food Folds In Layers of History, Family And Dough

Vivian Ku is the chef and restauranteur behind Joy in Highland Park and Pine and Crane in Silver Lake. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Start your day with LAist

Los Angeles is a city that loves its street food. Tostadas de ceviche. Bacon-wrapped elote dogs. Tijuana-style tacos. Thousand layer pancakes.

Resistir. That last one. whaaaaaat?

It's a popular snack in Taiwan, where it's known as cong zhua bing. It's also the specialty at Joy, a year-old Highland Park restaurant from Vivian Ku, owner of Silver Lake's Pine and Crane. The cute, neighborhood spot at the corner of York and Avenue 51 specializes in Taiwanese-style street food, made to suit 21st century L.A. palates and served with a dose of history.

Ku describes Taiwanese food as a blend of influences from Japan, China and groups indigenous to the nearly 14,000-square-mile island. Her family's roots reflect that mix.

"My mom's side came from the northern part of China during the civil war, so noodles and buns and potstickers, that was the stuff that my mom's side of the family all [ate]," Ku says. "My dad's side is actually Hakka and they're a pretty big subgroup in Taiwan. They're traditionally known to migrate extensively and because of that, they did a lot of curing and salting."

Taiwanese food is already a staple in Arcadia, Rowland Heights and Hacienda Heights, and it's showing up more in Irvine. But in Highland Park? Não muito.

Cold drinks and light appetizers kick off the menu at Joy. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Ku wanted to bring a slice of Taiwanese cuisine, especially its snacks and street food, to her neighborhood.

"Oftentimes at a stand in Taiwan, you wouldn't even stay and eat at the spot. They would have this little paper bag and they would put [the food] in the bag and you would walk with the bag and snack as you walk around," she says.

Cold appetizers often begin a meal in Taiwan. Joy's selection includes a few of Ku's favorites. Peanuts braised with soy sauce, rice wine and ginger. A changing selection of simple, chilled salads made with wood ear mushrooms or lotus root. Slices of scallion bread, flavored with green onions and topped with sesame seeds.

"This was the thing that my grandfather ordered by the loaf all the time and then he would just have it and snack on it through, lunch, dinner, breakfast, the next day," she says.

To go with any of these, you can sip a seasonal pineapple slushee, made with pineapple jam to intensify the flavor. For those 21 and up, there's also a boozy version, spiked with sake.

The dishes are reasonably priced. Only large items and combos cost more than $10.

"We see ourselves as part of the neighborhood so to us that means people can come in [and] feel like it's not going to hurt their wallet having a meal here," Ku says.

Joy is located in the same spot where Elsa's Bakery stood for decades, until it closed in October 2018. Ku wanted to pay homage to the neighborhood institution, whose owners are now her landlords, so she left the Elsa's Bakery sign hanging outside the restaurant. She also sells Mexican wedding cookies and donates the proceeds to local charities such as Optimist Youth Homes and AMP Youth Arts.

The pork belly clamshell buns are one Taiwanese street food staple from chef Vivian Ku's restaurant, Joy. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Main dishes at Joy include vegetarian hot and sour soup, shrimp wonton soup, dan dan noodles with jidori chicken and chiayi chicken and rice. There's also pork belly in a soft, clamshell bun. The dish's nickname, hu yao zhu, translates to "tiger bites pig" because it's shaped like a tiger's mouth chomping on slices of marinated pork belly, according to Ku. She also makes beef and vegan bean curd versions of the item.

The house specialty at Joy is the thousand layer pancake, a large circle of seemingly endless layers of paper-thin dough that has been stretched and folded using the same technique that gives croissants their flaky layers (lamination, if you watch The Great British Baking Show) One of Joy's most popular dishes, this delicious disc of dough can be loaded with egg, cheese and chili sauce to make a Taiwanese breakfast burrito.

With a filling of egg, cheese and chili sauce, a photo can't do justice to this pancake's layers of deliciousness (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Don't forget the slack season noodles, topped with pork, fried shallots and a single shrimp, no more, no less. The garnish has historical significance.

"When it was too dangerous to go fishing because of typhoon season, they had very little seafood on hand, so they tried to get everything they could from the seafood they had," Ku says. "It's always served with a single shrimp but you also use the shrimp shells and the shrimp head to make the stock."

The single shrimp on top of Joy's Slack Season Noodles has a historic backstory. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Stories like these are embedded in many of Joy's dishes. Ku returns often to Taiwan, where her culinary discoveries and the memories of her family's food inspire her menus back in Los Angeles. Sharing those narratives is part of her mission.

"One of the most rewarding things about opening this restaurant, so far, has been when we're able to bring in a diverse group of people and then have them eat something very specifically Taiwanese," Ku says. "The juxtaposition makes me very excited."

Editor's Note: An earlier version referred to the opening of Joy "as part of Highland Park's relentless gentrification." We have removed that phrase. Yes, Highland Park is undergoing relentless gentrification but the previous owners of the space where Joy opened were not forced out due to gentrification.


This Taiwanese Street Food Folds In Layers of History, Family And Dough

Vivian Ku is the chef and restauranteur behind Joy in Highland Park and Pine and Crane in Silver Lake. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Start your day with LAist

Los Angeles is a city that loves its street food. Tostadas de ceviche. Bacon-wrapped elote dogs. Tijuana-style tacos. Thousand layer pancakes.

Resistir. That last one. whaaaaaat?

It's a popular snack in Taiwan, where it's known as cong zhua bing. It's also the specialty at Joy, a year-old Highland Park restaurant from Vivian Ku, owner of Silver Lake's Pine and Crane. The cute, neighborhood spot at the corner of York and Avenue 51 specializes in Taiwanese-style street food, made to suit 21st century L.A. palates and served with a dose of history.

Ku describes Taiwanese food as a blend of influences from Japan, China and groups indigenous to the nearly 14,000-square-mile island. Her family's roots reflect that mix.

"My mom's side came from the northern part of China during the civil war, so noodles and buns and potstickers, that was the stuff that my mom's side of the family all [ate]," Ku says. "My dad's side is actually Hakka and they're a pretty big subgroup in Taiwan. They're traditionally known to migrate extensively and because of that, they did a lot of curing and salting."

Taiwanese food is already a staple in Arcadia, Rowland Heights and Hacienda Heights, and it's showing up more in Irvine. But in Highland Park? Não muito.

Cold drinks and light appetizers kick off the menu at Joy. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Ku wanted to bring a slice of Taiwanese cuisine, especially its snacks and street food, to her neighborhood.

"Oftentimes at a stand in Taiwan, you wouldn't even stay and eat at the spot. They would have this little paper bag and they would put [the food] in the bag and you would walk with the bag and snack as you walk around," she says.

Cold appetizers often begin a meal in Taiwan. Joy's selection includes a few of Ku's favorites. Peanuts braised with soy sauce, rice wine and ginger. A changing selection of simple, chilled salads made with wood ear mushrooms or lotus root. Slices of scallion bread, flavored with green onions and topped with sesame seeds.

"This was the thing that my grandfather ordered by the loaf all the time and then he would just have it and snack on it through, lunch, dinner, breakfast, the next day," she says.

To go with any of these, you can sip a seasonal pineapple slushee, made with pineapple jam to intensify the flavor. For those 21 and up, there's also a boozy version, spiked with sake.

The dishes are reasonably priced. Only large items and combos cost more than $10.

"We see ourselves as part of the neighborhood so to us that means people can come in [and] feel like it's not going to hurt their wallet having a meal here," Ku says.

Joy is located in the same spot where Elsa's Bakery stood for decades, until it closed in October 2018. Ku wanted to pay homage to the neighborhood institution, whose owners are now her landlords, so she left the Elsa's Bakery sign hanging outside the restaurant. She also sells Mexican wedding cookies and donates the proceeds to local charities such as Optimist Youth Homes and AMP Youth Arts.

The pork belly clamshell buns are one Taiwanese street food staple from chef Vivian Ku's restaurant, Joy. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Main dishes at Joy include vegetarian hot and sour soup, shrimp wonton soup, dan dan noodles with jidori chicken and chiayi chicken and rice. There's also pork belly in a soft, clamshell bun. The dish's nickname, hu yao zhu, translates to "tiger bites pig" because it's shaped like a tiger's mouth chomping on slices of marinated pork belly, according to Ku. She also makes beef and vegan bean curd versions of the item.

The house specialty at Joy is the thousand layer pancake, a large circle of seemingly endless layers of paper-thin dough that has been stretched and folded using the same technique that gives croissants their flaky layers (lamination, if you watch The Great British Baking Show) One of Joy's most popular dishes, this delicious disc of dough can be loaded with egg, cheese and chili sauce to make a Taiwanese breakfast burrito.

With a filling of egg, cheese and chili sauce, a photo can't do justice to this pancake's layers of deliciousness (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Don't forget the slack season noodles, topped with pork, fried shallots and a single shrimp, no more, no less. The garnish has historical significance.

"When it was too dangerous to go fishing because of typhoon season, they had very little seafood on hand, so they tried to get everything they could from the seafood they had," Ku says. "It's always served with a single shrimp but you also use the shrimp shells and the shrimp head to make the stock."

The single shrimp on top of Joy's Slack Season Noodles has a historic backstory. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Stories like these are embedded in many of Joy's dishes. Ku returns often to Taiwan, where her culinary discoveries and the memories of her family's food inspire her menus back in Los Angeles. Sharing those narratives is part of her mission.

"One of the most rewarding things about opening this restaurant, so far, has been when we're able to bring in a diverse group of people and then have them eat something very specifically Taiwanese," Ku says. "The juxtaposition makes me very excited."

Editor's Note: An earlier version referred to the opening of Joy "as part of Highland Park's relentless gentrification." We have removed that phrase. Yes, Highland Park is undergoing relentless gentrification but the previous owners of the space where Joy opened were not forced out due to gentrification.


This Taiwanese Street Food Folds In Layers of History, Family And Dough

Vivian Ku is the chef and restauranteur behind Joy in Highland Park and Pine and Crane in Silver Lake. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Start your day with LAist

Los Angeles is a city that loves its street food. Tostadas de ceviche. Bacon-wrapped elote dogs. Tijuana-style tacos. Thousand layer pancakes.

Resistir. That last one. whaaaaaat?

It's a popular snack in Taiwan, where it's known as cong zhua bing. It's also the specialty at Joy, a year-old Highland Park restaurant from Vivian Ku, owner of Silver Lake's Pine and Crane. The cute, neighborhood spot at the corner of York and Avenue 51 specializes in Taiwanese-style street food, made to suit 21st century L.A. palates and served with a dose of history.

Ku describes Taiwanese food as a blend of influences from Japan, China and groups indigenous to the nearly 14,000-square-mile island. Her family's roots reflect that mix.

"My mom's side came from the northern part of China during the civil war, so noodles and buns and potstickers, that was the stuff that my mom's side of the family all [ate]," Ku says. "My dad's side is actually Hakka and they're a pretty big subgroup in Taiwan. They're traditionally known to migrate extensively and because of that, they did a lot of curing and salting."

Taiwanese food is already a staple in Arcadia, Rowland Heights and Hacienda Heights, and it's showing up more in Irvine. But in Highland Park? Não muito.

Cold drinks and light appetizers kick off the menu at Joy. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Ku wanted to bring a slice of Taiwanese cuisine, especially its snacks and street food, to her neighborhood.

"Oftentimes at a stand in Taiwan, you wouldn't even stay and eat at the spot. They would have this little paper bag and they would put [the food] in the bag and you would walk with the bag and snack as you walk around," she says.

Cold appetizers often begin a meal in Taiwan. Joy's selection includes a few of Ku's favorites. Peanuts braised with soy sauce, rice wine and ginger. A changing selection of simple, chilled salads made with wood ear mushrooms or lotus root. Slices of scallion bread, flavored with green onions and topped with sesame seeds.

"This was the thing that my grandfather ordered by the loaf all the time and then he would just have it and snack on it through, lunch, dinner, breakfast, the next day," she says.

To go with any of these, you can sip a seasonal pineapple slushee, made with pineapple jam to intensify the flavor. For those 21 and up, there's also a boozy version, spiked with sake.

The dishes are reasonably priced. Only large items and combos cost more than $10.

"We see ourselves as part of the neighborhood so to us that means people can come in [and] feel like it's not going to hurt their wallet having a meal here," Ku says.

Joy is located in the same spot where Elsa's Bakery stood for decades, until it closed in October 2018. Ku wanted to pay homage to the neighborhood institution, whose owners are now her landlords, so she left the Elsa's Bakery sign hanging outside the restaurant. She also sells Mexican wedding cookies and donates the proceeds to local charities such as Optimist Youth Homes and AMP Youth Arts.

The pork belly clamshell buns are one Taiwanese street food staple from chef Vivian Ku's restaurant, Joy. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Main dishes at Joy include vegetarian hot and sour soup, shrimp wonton soup, dan dan noodles with jidori chicken and chiayi chicken and rice. There's also pork belly in a soft, clamshell bun. The dish's nickname, hu yao zhu, translates to "tiger bites pig" because it's shaped like a tiger's mouth chomping on slices of marinated pork belly, according to Ku. She also makes beef and vegan bean curd versions of the item.

The house specialty at Joy is the thousand layer pancake, a large circle of seemingly endless layers of paper-thin dough that has been stretched and folded using the same technique that gives croissants their flaky layers (lamination, if you watch The Great British Baking Show) One of Joy's most popular dishes, this delicious disc of dough can be loaded with egg, cheese and chili sauce to make a Taiwanese breakfast burrito.

With a filling of egg, cheese and chili sauce, a photo can't do justice to this pancake's layers of deliciousness (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Don't forget the slack season noodles, topped with pork, fried shallots and a single shrimp, no more, no less. The garnish has historical significance.

"When it was too dangerous to go fishing because of typhoon season, they had very little seafood on hand, so they tried to get everything they could from the seafood they had," Ku says. "It's always served with a single shrimp but you also use the shrimp shells and the shrimp head to make the stock."

The single shrimp on top of Joy's Slack Season Noodles has a historic backstory. (Photo by Emily Henderson/ LAist)

Stories like these are embedded in many of Joy's dishes. Ku returns often to Taiwan, where her culinary discoveries and the memories of her family's food inspire her menus back in Los Angeles. Sharing those narratives is part of her mission.

"One of the most rewarding things about opening this restaurant, so far, has been when we're able to bring in a diverse group of people and then have them eat something very specifically Taiwanese," Ku says. "The juxtaposition makes me very excited."

Editor's Note: An earlier version referred to the opening of Joy "as part of Highland Park's relentless gentrification." We have removed that phrase. Yes, Highland Park is undergoing relentless gentrification but the previous owners of the space where Joy opened were not forced out due to gentrification.


Assista o vídeo: TERRITÓRIOS ULTRAMARINOS (Janeiro 2022).