Novas receitas

Vinho de 3.000 anos descoberto na China

Vinho de 3.000 anos descoberto na China

Arqueólogos descobrem o vinho mais antigo - ainda na forma líquida - encontrado na China

O vaso de bronze ainda pode conter vinho de 3.000 anos.

Já ouvimos falar de cerveja e champanhe com mais de 150 anos, descobertos em um naufrágio na Finlândia, mas este vinho sopra esse recorde da água. Novos relatórios dizem que os arqueólogos descobriram a "garrafa" de vinho mais antiga encontrada na China - com quase 3.000 anos.

O antigo navio de bronze foi encontrado na cidade de Baoji, relata The Drinks Business. E a história por trás disso é fascinante: a garrafa pode ter pertencido à Dinastia Zhou Ocidental, que governou de 1046 a 771 a.C. Durante a anterior Dinastia Shang, o vinho era considerado um símbolo de corrupção (graças a alguns políticos bêbados); durante a Dinastia Zhou Ocidental, os "dispositivos de proibição" tornaram-se populares. Esses aparelhos foram colocados sobre a mesa para lembrar as pessoas de não beber muito.

E o mais louco de tudo: os arqueólogos acreditam que o vinho dentro é na verdade ainda líquido. Embora o recipiente ainda não tenha sido aberto, eles ouviram sons de líquido quando o sacudiram.

Embora este vinho seja certamente um dos mais antigos encontrados (e o mais antigo na forma líquida), não é o mais antigo: resíduo de Vinho de 9.000 anos foi encontrado na China em 2004; e alguns Vinho de 7.000 anos remanescentes foram encontrados no Irã.


Por séculos, essas receitas asiáticas têm ajudado novas mães a se recuperarem do parto

A Dra. Marilyn Wong serve sopa de mamão verde e pés de porco, um prato vietnamita que fortalece as novas mães.

Grace Hwang Lynch para NPR

Khanh-Hoa Nguyen mexe uma panela de mamão verde e sopa de pés de porco. O caldo claro e os pedaços verde-claros de melão verde estão impregnados de molho de peixe, como sua própria mãe preparava a sopa depois que a irmã de Nguyen deu à luz.

Depois de seu segundo ano na Universidade da Califórnia em Berkeley, Nguyen estava passando o verão na casa de seus pais em Los Angeles, observando sua mãe preparar grandes potes de comida vietnamita pós-parto para sua irmã.

De mães para mães: uma coleção de receitas asiáticas tradicionais para o pós-parto será lançado em abril pela Eastwind Books of Berkeley. Khanh-Hoa Nguyen ocultar legenda

"Não acho que saberia se não fosse para casa naquele verão", disse Nguyen, que agora está coeditando um dos livros de culinária mais abrangentes em inglês com comidas asiáticas tradicionais para novas mães.

Por gerações, novas mães vietnamitas comeram esse ensopado, assim como as mães coreanas engoliram tigelas de sopa de algas marinhas e as chinesas cozeram pés de porco com gengibre e vinagre. As tradições alimentares remontam a séculos, parte da prática de descanso durante os primeiros 30 dias após o parto, comum em toda a Ásia.

Em chinês, é chamado zuo yuezi, ou "sentado o mês." Os vietnamitas se referem a isso como nằm ổ, literalmente "deitado em um ninho". É improvável que as receitas desses alimentos sejam encontradas em qualquer livro de receitas. Esses tônicos pós-parto são tradicionalmente preparados por avós e tias com ingredientes e técnicas passados ​​por via oral.

Quando Nguyen voltou para Berkeley naquele outono, ela fez um curso sobre saúde comunitária de asiático-americanos e ilhas do Pacífico. Nessa aula, a Dra. Marilyn Wong fez uma chamada para alunos interessados ​​em documentar as tradições pós-parto asiáticas. Nguyen não apenas se ofereceu para fazer pesquisas, mas liderou um grupo de 13 estudantes de graduação que passaram os últimos dois anos entrevistando parentes e coletando receitas de seis etnias asiáticas: vietnamita, chinesa, coreana, hmong, cambojana e filipina. Junto com Wong, Nguyen editou o livro de receitas De mães para mães: uma coleção de receitas asiáticas tradicionais para o pós-parto, que será lançado este mês.

Khanh-Hoa Nguyen cozinha barriga de porco caramelizada com gengibre, prato cambojano servido a mulheres que acabaram de dar à luz. Grace Hwang Lynch para NPR ocultar legenda

Khanh-Hoa Nguyen cozinha barriga de porco caramelizada com gengibre, prato cambojano servido a mulheres que acabaram de dar à luz.

Grace Hwang Lynch para NPR

Wong, uma médica aposentada, diz que em seus 30 anos de trabalho em clínicas de saúde pública em San Francisco e Oakland, Califórnia, ela viu uma falta de orientação nutricional para imigrantes e refugiados de baixa renda, que podem estar morando longe de suas avós e tias e seus alimentos nativos. Os médicos simplesmente diriam à mulher que amamenta para beber bastante líquido e comer mais calorias, diz Wong. Mesmo com sua graduação em medicina e saúde pública, Wong não descarta o valor dos remédios populares asiáticos.

“Na medicina ocidental, não prestamos atenção suficiente à tradição. Simplesmente descartamos tudo isso e começamos do zero, porque agora sabemos o que são minerais, vitaminas e moléculas”, pondera Wong.

Ela ressalta que a técnica chinesa de refogar pés de porco com gengibre e vinagre os torna especialmente nutritivos. “O vinagre provavelmente tira o cálcio dos ossos. É disso que você precisa, o cálcio. As mulheres perderiam massa óssea com a amamentação. Antigamente, não podiam verbalizar dessa forma, mas sabiam que as mulheres que faziam isso se saiu melhor do que as mulheres que não o fizeram. "

Para mães chinesas, o nascimento significa 30 dias de pijama

Essas sopas tradicionais podem ser difíceis de engolir para mulheres mais jovens ou mais assimiladas. Embora tenha passado a infância no Vietnã, a irmã de Nguyen inicialmente rejeitou esses ensopados. Mas preocupada com a possibilidade de não produzir leite suficiente, ela deu uma chance a eles. “E realmente ajudou minha irmã com a amamentação”, diz Nguyen.

As sopas desempenham um grande papel em todas as seis culturas representadas em De mães para mães, embora as receitas também incluam pratos como barriga de porco caramelizada cambojana e amêijoas Tulia com tomate e gengibre. Nguyen e os outros alunos entrevistaram membros da família para aprender os métodos de cozimento e, em seguida, praticaram como fazê-los na casa de Wong em Berkeley Hills e em seus próprios apartamentos.

"Às vezes, tínhamos que ligar para a mamãe", ri Nguyen.

"Quando você diz um 'beliscão', o que é isso?" Wong interrompe.

Em toda a gama de culturas e geografia, algumas tendências surgiram. “O mamão papaia também é usado nas receitas pós-parto chinesas e nas receitas pós-parto cambojanas”, observa Nguyen. "A barriga de porco também é usada nas culturas vietnamita, cambojana e chinesa. O gengibre é um ingrediente muito comum no pós-parto."

E talvez haja outro ingrediente nesses ensopados que ajuda as novas mães a se recuperarem: a comunidade. “A aldeia inteira estaria lá e as pessoas cozinhariam e cuidariam do seu bebê”, diz Wong sobre as práticas pós-parto na China pré-industrial. "As mães eram muito mimadas."

Após três semestres de pesquisa, os alunos registraram 30 receitas, cada uma delas impressa em inglês e em sua língua nativa. Os alunos também financiaram coletivamente mais de US $ 7.300 para doar cerca de 500 cópias do livro para clínicas da Bay Area e grupos sem fins lucrativos que atendem a americanos asiáticos de baixa renda.

De mães para mães será vendido na Eastwind Books em Berkeley e online. Wong espera que haja uma segunda fase para este projeto, talvez para estudar as tradições alimentares pós-parto do Sul da Ásia ou do Oriente Médio.


Por séculos, essas receitas asiáticas têm ajudado novas mães a se recuperarem do parto

A Dra. Marilyn Wong serve sopa de mamão verde e pés de porco, um prato vietnamita que fortalece as novas mães.

Grace Hwang Lynch para NPR

Khanh-Hoa Nguyen mexe uma panela de mamão verde e sopa de pés de porco. O caldo claro e os pedaços verde-claros de melão verde estão impregnados de molho de peixe, como sua própria mãe preparava a sopa depois que a irmã de Nguyen deu à luz.

Depois de seu segundo ano na Universidade da Califórnia em Berkeley, Nguyen estava passando o verão na casa de seus pais em Los Angeles, observando sua mãe preparar grandes potes de comida vietnamita pós-parto para sua irmã.

De mães para mães: uma coleção de receitas asiáticas tradicionais para o pós-parto será lançado em abril pela Eastwind Books of Berkeley. Khanh-Hoa Nguyen ocultar legenda

“Não acho que saberia se não fosse para casa naquele verão”, diz Nguyen, que agora está coeditando um dos livros de culinária mais abrangentes em inglês com comidas asiáticas tradicionais para novas mães.

Por gerações, novas mães vietnamitas comeram esse ensopado, assim como as mães coreanas engoliram tigelas de sopa de algas marinhas e as chinesas cozeram pés de porco com gengibre e vinagre. As tradições alimentares remontam a séculos, parte da prática de descanso durante os primeiros 30 dias após o parto, comum em toda a Ásia.

Em chinês, é chamado zuo yuezi, ou "sentado o mês." Os vietnamitas se referem a isso como nằm ổ, literalmente "deitado em um ninho". É improvável que as receitas desses alimentos sejam encontradas em qualquer livro de receitas. Esses tônicos pós-parto são tradicionalmente preparados por avós e tias com ingredientes e técnicas passados ​​por via oral.

Quando Nguyen voltou para Berkeley naquele outono, ela fez um curso sobre saúde comunitária de asiático-americanos e ilhas do Pacífico. Nessa aula, a Dra. Marilyn Wong fez uma chamada para alunos interessados ​​em documentar as tradições pós-parto asiáticas. Nguyen não apenas se ofereceu para fazer pesquisas, mas liderou um grupo de 13 estudantes de graduação que passaram os últimos dois anos entrevistando parentes e coletando receitas de seis etnias asiáticas: vietnamita, chinesa, coreana, hmong, cambojana e filipina. Junto com Wong, Nguyen editou o livro de receitas De mães para mães: uma coleção de receitas asiáticas tradicionais para o pós-parto, que será lançado este mês.

Khanh-Hoa Nguyen cozinha barriga de porco caramelizada com gengibre, um prato cambojano servido para mulheres que acabaram de dar à luz. Grace Hwang Lynch para NPR ocultar legenda

Khanh-Hoa Nguyen cozinha barriga de porco caramelizada com gengibre, prato cambojano servido a mulheres que acabaram de dar à luz.

Grace Hwang Lynch para NPR

Wong, uma médica aposentada, diz que em seus 30 anos de trabalho em clínicas de saúde pública em San Francisco e Oakland, Califórnia, ela viu uma falta de orientação nutricional para imigrantes e refugiados de baixa renda, que podem estar morando longe de suas avós e tias e seus alimentos nativos. Os médicos simplesmente diriam à mulher que amamenta para beber bastante líquido e comer mais calorias, diz Wong. Mesmo com sua graduação em medicina e saúde pública, Wong não descarta o valor dos remédios populares asiáticos.

“Na medicina ocidental, não prestamos atenção suficiente à tradição. Simplesmente descartamos tudo isso e começamos do zero, porque agora sabemos o que são minerais, vitaminas e moléculas”, pondera Wong.

Ela ressalta que a técnica chinesa de refogar pés de porco com gengibre e vinagre os torna especialmente nutritivos. “O vinagre provavelmente tira o cálcio dos ossos. É disso que você precisa, o cálcio. As mulheres perderiam massa óssea com a amamentação. Antigamente, não podiam verbalizar assim, mas sabiam que as mulheres que faziam isso se saiu melhor do que as mulheres que não o fizeram. "

Para mães chinesas, o nascimento significa 30 dias de pijama

Essas sopas tradicionais podem ser difíceis de engolir para mulheres mais jovens ou mais assimiladas. Embora tenha passado a infância no Vietnã, a irmã de Nguyen inicialmente rejeitou esses ensopados. Mas preocupada com a possibilidade de não produzir leite suficiente, ela deu uma chance a eles. “E realmente ajudou minha irmã com a amamentação”, diz Nguyen.

As sopas desempenham um grande papel em todas as seis culturas representadas em De mães para mães, embora as receitas também incluam pratos como barriga de porco caramelizada cambojana e amêijoas Tulia com tomate e gengibre. Nguyen e os outros alunos entrevistaram membros da família para aprender os métodos de cozimento e, em seguida, praticaram como fazê-los na casa de Wong em Berkeley Hills e em seus próprios apartamentos.

"Às vezes, tínhamos que ligar para a mamãe", ri Nguyen.

"Quando você diz um 'beliscão', o que é isso?" Wong interrompe.

Em toda a gama de culturas e geografia, algumas tendências surgiram. “O mamão papaia também é usado nas receitas pós-parto chinesas e nas receitas pós-parto cambojanas”, observa Nguyen. "A barriga de porco também é usada nas culturas vietnamita, cambojana e chinesa. O gengibre é um ingrediente muito comum no pós-parto."

E talvez haja outro ingrediente nesses ensopados que ajuda as novas mães a se recuperarem: a comunidade. “A aldeia inteira estaria lá e as pessoas cozinhariam e cuidariam do seu bebê”, diz Wong sobre as práticas pós-parto na China pré-industrial. "As mães eram muito mimadas."

Após três semestres de pesquisa, os alunos registraram 30 receitas, cada uma delas impressa em inglês e em sua língua nativa. Os alunos também financiaram coletivamente mais de US $ 7.300 para doar cerca de 500 cópias do livro para clínicas da Bay Area e grupos sem fins lucrativos que atendem a americanos asiáticos de baixa renda.

De mães para mães será vendido na Eastwind Books em Berkeley e online. Wong espera que haja uma segunda fase para este projeto, talvez para estudar as tradições alimentares pós-parto do Sul da Ásia ou do Oriente Médio.


Por séculos, essas receitas asiáticas têm ajudado novas mães a se recuperarem do parto

A Dra. Marilyn Wong serve sopa de mamão verde e pés de porco, um prato vietnamita que fortalece as novas mães.

Grace Hwang Lynch para NPR

Khanh-Hoa Nguyen mexe uma panela de mamão verde e sopa de pés de porco. O caldo claro e os pedaços verde-claros de melão verde estão impregnados de molho de peixe, como sua própria mãe preparava a sopa depois que a irmã de Nguyen deu à luz.

Depois de seu segundo ano na Universidade da Califórnia em Berkeley, Nguyen estava passando o verão na casa de seus pais em Los Angeles, observando sua mãe preparar grandes potes de comida vietnamita pós-parto para sua irmã.

De mães para mães: uma coleção de receitas asiáticas tradicionais para o pós-parto será lançado em abril pela Eastwind Books of Berkeley. Khanh-Hoa Nguyen ocultar legenda

"Não acho que saberia se não fosse para casa naquele verão", disse Nguyen, que agora está coeditando um dos livros de culinária mais abrangentes em inglês, apresentando comidas asiáticas tradicionais para novas mães.

Por gerações, novas mães vietnamitas comeram esse ensopado, assim como as mães coreanas engoliram tigelas de sopa de algas marinhas e as chinesas cozeram pés de porco com gengibre e vinagre. As tradições alimentares remontam a séculos, parte da prática de descanso durante os primeiros 30 dias após o parto, comum em toda a Ásia.

Em chinês, é chamado zuo yuezi, ou "sentado o mês." Os vietnamitas se referem a isso como nằm ổ, literalmente "deitado em um ninho". É improvável que as receitas desses alimentos sejam encontradas em qualquer livro de receitas. Esses tônicos pós-parto são tradicionalmente preparados por avós e tias com ingredientes e técnicas passados ​​por via oral.

Quando Nguyen voltou para Berkeley naquele outono, ela fez um curso sobre saúde comunitária de asiático-americanos e ilhas do Pacífico. Nessa aula, a Dra. Marilyn Wong fez uma chamada para alunos interessados ​​em documentar as tradições pós-parto asiáticas. Nguyen não apenas se ofereceu para fazer pesquisas, mas liderou um grupo de 13 estudantes de graduação que passaram os últimos dois anos entrevistando parentes e coletando receitas de seis etnias asiáticas: vietnamita, chinesa, coreana, hmong, cambojana e filipina. Junto com Wong, Nguyen editou o livro de receitas De mães para mães: uma coleção de receitas asiáticas tradicionais para o pós-parto, que será lançado este mês.

Khanh-Hoa Nguyen cozinha barriga de porco caramelizada com gengibre, um prato cambojano servido para mulheres que acabaram de dar à luz. Grace Hwang Lynch para NPR ocultar legenda

Khanh-Hoa Nguyen cozinha barriga de porco caramelizada com gengibre, um prato cambojano servido para mulheres que acabaram de dar à luz.

Grace Hwang Lynch para NPR

Wong, uma médica aposentada, diz que em seus 30 anos de trabalho em clínicas de saúde pública em San Francisco e Oakland, Califórnia, ela viu uma falta de orientação nutricional para imigrantes e refugiados de baixa renda, que podem estar morando longe de suas avós e tias e seus alimentos nativos. Os médicos simplesmente diriam à mulher que amamenta para beber bastante líquido e comer mais calorias, diz Wong. Mesmo com sua graduação em medicina e saúde pública, Wong não descarta o valor dos remédios populares asiáticos.

“Na medicina ocidental, não prestamos atenção suficiente à tradição. Simplesmente descartamos tudo isso e começamos do zero, porque agora sabemos o que são minerais, vitaminas e moléculas”, pondera Wong.

Ela ressalta que a técnica chinesa de refogar pés de porco com gengibre e vinagre os torna especialmente nutritivos. “O vinagre provavelmente tira o cálcio dos ossos. É disso que você precisa, o cálcio. As mulheres perderiam massa óssea com a amamentação. Antigamente, não podiam verbalizar dessa forma, mas sabiam que as mulheres que faziam isso se saiu melhor do que as mulheres que não o fizeram. "

Para mães chinesas, o nascimento significa 30 dias de pijama

Essas sopas tradicionais podem ser difíceis de engolir para mulheres mais jovens ou mais assimiladas. Embora tenha passado a infância no Vietnã, a irmã de Nguyen inicialmente rejeitou esses ensopados. Mas preocupada com a possibilidade de não produzir leite suficiente, ela deu uma chance a eles. “E realmente ajudou minha irmã com a amamentação”, diz Nguyen.

As sopas desempenham um grande papel em todas as seis culturas representadas em De mães para mães, embora as receitas também incluam pratos como barriga de porco caramelizada cambojana e amêijoas Tulia com tomate e gengibre. Nguyen e os outros alunos entrevistaram membros da família para aprender os métodos de cozimento e, em seguida, praticaram como fazê-los na casa de Wong em Berkeley Hills e em seus próprios apartamentos.

"Às vezes, tínhamos que ligar para a mamãe", ri Nguyen.

"Quando você diz um 'beliscão', o que é isso?" Wong interrompe.

Em toda a gama de culturas e geografia, algumas tendências surgiram. “O mamão papaia também é usado nas receitas pós-parto chinesas e nas receitas pós-parto cambojanas”, observa Nguyen. "A barriga de porco também é usada nas culturas vietnamita, cambojana e chinesa. O gengibre é um ingrediente muito comum no pós-parto."

E talvez haja outro ingrediente nesses ensopados que ajuda as novas mães a se recuperarem: a comunidade. “A vila inteira estaria lá e as pessoas cozinhariam e cuidariam do seu bebê”, diz Wong sobre as práticas pós-parto na China pré-industrial. "As mães eram muito mimadas."

Após três semestres de pesquisa, os alunos registraram 30 receitas, cada uma delas impressa em inglês e em sua língua nativa. Os alunos também financiaram coletivamente mais de US $ 7.300 para doar cerca de 500 cópias do livro para clínicas da Bay Area e grupos sem fins lucrativos que atendem a americanos asiáticos de baixa renda.

De mães para mães será vendido na Eastwind Books em Berkeley e online. Wong espera que haja uma segunda fase para este projeto, talvez para estudar as tradições alimentares pós-parto do Sul da Ásia ou do Oriente Médio.


Por séculos, essas receitas asiáticas têm ajudado novas mães a se recuperarem do parto

A Dra. Marilyn Wong serve sopa de mamão verde e pés de porco, um prato vietnamita que fortalece as novas mães.

Grace Hwang Lynch para NPR

Khanh-Hoa Nguyen mexe uma panela de mamão verde e sopa de pés de porco. O caldo claro e os pedaços verde-claros de melão verde estão impregnados de molho de peixe, como sua própria mãe preparava a sopa depois que a irmã de Nguyen deu à luz.

Depois de seu segundo ano na Universidade da Califórnia em Berkeley, Nguyen estava passando o verão na casa de seus pais em Los Angeles, observando sua mãe preparar grandes potes de comida vietnamita pós-parto para sua irmã.

De mães para mães: uma coleção de receitas asiáticas tradicionais para o pós-parto será lançado em abril pela Eastwind Books of Berkeley. Khanh-Hoa Nguyen ocultar legenda

"Não acho que saberia se não fosse para casa naquele verão", disse Nguyen, que agora está coeditando um dos livros de culinária mais abrangentes em inglês, apresentando comidas asiáticas tradicionais para novas mães.

Por gerações, novas mães vietnamitas comeram esse ensopado, assim como as mães coreanas engoliram tigelas de sopa de algas marinhas e as chinesas cozeram pés de porco com gengibre e vinagre. As tradições alimentares remontam a séculos, parte da prática de descanso durante os primeiros 30 dias após o parto, comum em toda a Ásia.

Em chinês, é chamado zuo yuezi, ou "sentado o mês." Os vietnamitas se referem a isso como nằm ổ, literalmente "deitado em um ninho". É improvável que as receitas desses alimentos sejam encontradas em qualquer livro de receitas. Esses tônicos pós-parto são tradicionalmente preparados por avós e tias com ingredientes e técnicas passados ​​por via oral.

Quando Nguyen voltou para Berkeley naquele outono, ela fez um curso sobre saúde comunitária de asiático-americanos e ilhas do Pacífico. Nessa aula, a Dra. Marilyn Wong fez uma chamada para alunos interessados ​​em documentar as tradições pós-parto asiáticas. Nguyen não apenas se ofereceu para fazer pesquisas, mas liderou um grupo de 13 estudantes de graduação que passaram os últimos dois anos entrevistando parentes e coletando receitas de seis etnias asiáticas: vietnamita, chinesa, coreana, hmong, cambojana e filipina. Junto com Wong, Nguyen editou o livro de receitas De mães para mães: uma coleção de receitas asiáticas tradicionais para o pós-parto, que será lançado este mês.

Khanh-Hoa Nguyen cozinha barriga de porco caramelizada com gengibre, prato cambojano servido a mulheres que acabaram de dar à luz. Grace Hwang Lynch para NPR ocultar legenda

Khanh-Hoa Nguyen cozinha barriga de porco caramelizada com gengibre, prato cambojano servido a mulheres que acabaram de dar à luz.

Grace Hwang Lynch para NPR

Wong, uma médica aposentada, diz que em seus 30 anos de trabalho em clínicas de saúde pública em San Francisco e Oakland, Califórnia, ela viu uma falta de orientação nutricional para imigrantes e refugiados de baixa renda, que podem estar morando longe de suas avós e tias e seus alimentos nativos. Os médicos simplesmente diriam à mulher que amamenta para beber bastante líquido e comer mais calorias, diz Wong. Mesmo com sua graduação em medicina e saúde pública, Wong não descarta o valor dos remédios populares asiáticos.

“Na medicina ocidental, não prestamos atenção suficiente à tradição. Simplesmente descartamos tudo isso e começamos do zero, porque agora sabemos o que são minerais, vitaminas e moléculas”, pondera Wong.

Ela ressalta que a técnica chinesa de refogar pés de porco com gengibre e vinagre os torna especialmente nutritivos. “O vinagre provavelmente tira o cálcio dos ossos. É disso que você precisa, o cálcio. As mulheres perderiam massa óssea com a amamentação. Antigamente, não podiam verbalizar dessa forma, mas sabiam que as mulheres que faziam isso se saiu melhor do que as mulheres que não o fizeram. "

Para mães chinesas, o nascimento significa 30 dias de pijama

Essas sopas tradicionais podem ser difíceis de engolir para mulheres mais jovens ou mais assimiladas. Embora tenha passado a infância no Vietnã, a irmã de Nguyen inicialmente rejeitou esses ensopados. Mas preocupada com a possibilidade de não produzir leite suficiente, ela deu uma chance a eles. “E realmente ajudou minha irmã com a amamentação”, diz Nguyen.

As sopas desempenham um grande papel em todas as seis culturas representadas em De mães para mães, embora as receitas também incluam pratos como barriga de porco caramelizada cambojana e amêijoas Tulia com tomate e gengibre. Nguyen e os outros alunos entrevistaram membros da família para aprender os métodos de cozimento e, em seguida, praticaram como fazê-los na casa de Wong em Berkeley Hills e em seus próprios apartamentos.

"Às vezes, tínhamos que ligar para a mamãe", ri Nguyen.

"Quando você diz um 'beliscão', o que é isso?" Wong interrompe.

Em toda a gama de culturas e geografia, algumas tendências surgiram. “O mamão também é usado em receitas pós-parto chinesas e receitas pós-parto cambojanas”, observa Nguyen. "A barriga de porco também é usada nas culturas vietnamita, cambojana e chinesa. O gengibre é um ingrediente muito comum no pós-parto."

E talvez haja outro ingrediente nesses ensopados que ajuda as novas mães a se recuperarem: a comunidade. “A vila inteira estaria lá e as pessoas cozinhariam e cuidariam do seu bebê”, diz Wong sobre as práticas pós-parto na China pré-industrial. "As mães eram muito mimadas."

Após três semestres de pesquisa, os alunos registraram 30 receitas, cada uma delas impressa em inglês e em sua língua nativa. Os alunos também financiaram coletivamente mais de US $ 7.300 para doar cerca de 500 cópias do livro para clínicas da Bay Area e grupos sem fins lucrativos que atendem a americanos asiáticos de baixa renda.

De mães para mães será vendido na Eastwind Books em Berkeley e online. Wong espera que haja uma segunda fase para este projeto, talvez para estudar as tradições alimentares pós-parto do Sul da Ásia ou do Oriente Médio.


Por séculos, essas receitas asiáticas têm ajudado novas mães a se recuperarem do parto

A Dra. Marilyn Wong serve sopa de mamão verde e pés de porco, um prato vietnamita que fortalece as novas mães.

Grace Hwang Lynch para NPR

Khanh-Hoa Nguyen mexe uma panela de mamão verde e sopa de pés de porco. O caldo claro e os pedaços verde-claros de melão verde estão impregnados de molho de peixe, como sua própria mãe preparava a sopa depois que a irmã de Nguyen deu à luz.

Depois de seu segundo ano na Universidade da Califórnia em Berkeley, Nguyen estava passando o verão na casa de seus pais em Los Angeles, observando sua mãe preparar grandes potes de comida vietnamita pós-parto para sua irmã.

De mães para mães: uma coleção de receitas asiáticas tradicionais para o pós-parto será lançado em abril pela Eastwind Books of Berkeley. Khanh-Hoa Nguyen ocultar legenda

"Não acho que saberia se não fosse para casa naquele verão", disse Nguyen, que agora está coeditando um dos livros de culinária mais abrangentes em inglês com comidas asiáticas tradicionais para novas mães.

Por gerações, novas mães vietnamitas comeram esse ensopado, assim como as mães coreanas engoliram tigelas de sopa de algas marinhas e as chinesas cozeram pés de porco com gengibre e vinagre. As tradições alimentares remontam a séculos, parte da prática de descanso durante os primeiros 30 dias após o parto, comum em toda a Ásia.

Em chinês, é chamado zuo yuezi, ou "sentado o mês." Os vietnamitas se referem a isso como nằm ổ, literalmente "deitado em um ninho". É improvável que as receitas desses alimentos sejam encontradas em qualquer livro de receitas. Esses tônicos pós-parto são tradicionalmente preparados por avós e tias com ingredientes e técnicas passados ​​por via oral.

Quando Nguyen voltou para Berkeley naquele outono, ela fez um curso sobre saúde comunitária de asiático-americanos e ilhas do Pacífico. Nessa aula, a Dra. Marilyn Wong fez uma chamada para alunos interessados ​​em documentar as tradições pós-parto asiáticas. Nguyen não apenas se ofereceu para fazer pesquisas, mas liderou um grupo de 13 estudantes de graduação que passaram os últimos dois anos entrevistando parentes e coletando receitas de seis etnias asiáticas: vietnamita, chinesa, coreana, hmong, cambojana e filipina. Junto com Wong, Nguyen editou o livro de receitas De mães para mães: uma coleção de receitas asiáticas tradicionais para o pós-parto, que será lançado este mês.

Khanh-Hoa Nguyen cozinha barriga de porco caramelizada com gengibre, prato cambojano servido a mulheres que acabaram de dar à luz. Grace Hwang Lynch para NPR ocultar legenda

Khanh-Hoa Nguyen cozinha barriga de porco caramelizada com gengibre, um prato cambojano servido para mulheres que acabaram de dar à luz.

Grace Hwang Lynch para NPR

Wong, uma médica aposentada, diz que em seus 30 anos de trabalho em clínicas de saúde pública em San Francisco e Oakland, Califórnia, ela viu uma falta de orientação nutricional para imigrantes e refugiados de baixa renda, que podem estar morando longe de suas avós e tias e seus alimentos nativos. Os médicos simplesmente diriam à mulher que amamenta para beber bastante líquido e comer mais calorias, diz Wong. Mesmo com sua graduação em medicina e saúde pública, Wong não descarta o valor dos remédios populares asiáticos.

“Na medicina ocidental, não prestamos atenção suficiente à tradição. Simplesmente descartamos tudo isso e começamos do zero, porque agora sabemos o que são minerais, vitaminas e moléculas”, pondera Wong.

Ela ressalta que a técnica chinesa de refogar pés de porco com gengibre e vinagre os torna especialmente nutritivos. “O vinagre provavelmente tira o cálcio dos ossos. É disso que você precisa, o cálcio. As mulheres perderiam massa óssea com a amamentação. Antigamente, não podiam verbalizar dessa forma, mas sabiam que as mulheres que faziam isso se saiu melhor do que as mulheres que não o fizeram. "

Para mães chinesas, o nascimento significa 30 dias de pijama

Essas sopas tradicionais podem ser difíceis de engolir para mulheres mais jovens ou mais assimiladas. Embora tenha passado a infância no Vietnã, a irmã de Nguyen inicialmente rejeitou esses ensopados. Mas preocupada com a possibilidade de não produzir leite suficiente, ela deu uma chance a eles. “E realmente ajudou minha irmã com a amamentação”, diz Nguyen.

As sopas desempenham um grande papel em todas as seis culturas representadas em De mães para mães, embora as receitas também incluam pratos como barriga de porco caramelizada cambojana e amêijoas Tulia com tomate e gengibre. Nguyen e os outros alunos entrevistaram membros da família para aprender os métodos de cozimento e, em seguida, praticaram como fazê-los na casa de Wong em Berkeley Hills e em seus próprios apartamentos.

“Às vezes, tínhamos que ligar para a mamãe”, ri Nguyen.

"Quando você diz um 'beliscão', o que é isso?" Wong interrompe.

Em toda a gama de culturas e geografia, algumas tendências surgiram. “O mamão também é usado em receitas pós-parto chinesas e receitas pós-parto cambojanas”, observa Nguyen. "A barriga de porco também é usada nas culturas vietnamita, cambojana e chinesa. O gengibre é um ingrediente muito comum no pós-parto."

E talvez haja outro ingrediente nesses ensopados que ajuda as novas mães a se recuperarem: a comunidade. “A vila inteira estaria lá e as pessoas cozinhariam e cuidariam do seu bebê”, diz Wong sobre as práticas pós-parto na China pré-industrial. "As mães eram muito mimadas."

Após três semestres de pesquisa, os alunos registraram 30 receitas, cada uma delas impressa em inglês e em sua língua nativa. Os alunos também financiaram coletivamente mais de US $ 7.300 para doar quase 500 cópias do livro para clínicas da Bay Area e grupos sem fins lucrativos que atendem a americanos asiáticos de baixa renda.

De mães para mães será vendido na Eastwind Books em Berkeley e online. Wong espera que haja uma segunda fase para este projeto, talvez para estudar as tradições alimentares pós-parto do Sul da Ásia ou do Oriente Médio.


Por séculos, essas receitas asiáticas têm ajudado novas mães a se recuperarem do parto

A Dra. Marilyn Wong serve sopa de mamão verde e pés de porco, um prato vietnamita que fortalece as novas mães.

Grace Hwang Lynch para NPR

Khanh-Hoa Nguyen mexe uma panela de mamão verde e sopa de pés de porco. O caldo claro e os pedaços verde-claros de melão verde estão impregnados de molho de peixe, como sua própria mãe preparava a sopa depois que a irmã de Nguyen deu à luz.

Depois de seu segundo ano na Universidade da Califórnia em Berkeley, Nguyen estava passando o verão na casa de seus pais em Los Angeles, observando sua mãe preparar grandes potes de comida vietnamita pós-parto para sua irmã.

De mães para mães: uma coleção de receitas asiáticas tradicionais para o pós-parto será lançado em abril pela Eastwind Books of Berkeley. Khanh-Hoa Nguyen ocultar legenda

“Não acho que saberia se não fosse para casa naquele verão”, diz Nguyen, que agora está coeditando um dos livros de culinária mais abrangentes em inglês com comidas asiáticas tradicionais para novas mães.

For generations, new Vietnamese mothers have eaten this stew, just as Korean mothers have downed bowls of seaweed soup and Chinese women have simmered pigs' feet with ginger and vinegar. The food traditions stretch back for centuries, part of the practice of resting for the first 30 days after giving birth that is common throughout Asia.

In Chinese, it's called zuo yuezi, or "sitting the month." Vietnamese refer to it as nằm ổ, literally "lying in a nest." The recipes for these foods are unlikely to be found in any cookbook. These postpartum tonics have traditionally been prepared by grandmothers and aunts the ingredients and techniques passed down orally.

When Nguyen returned to Berkeley that fall, she took a course in Asian American and Pacific Islander community health. In that class, Dr. Marilyn Wong put out a call for students who were interested in documenting Asian postpartum traditions. Nguyen not only volunteered to do research, but led a group of 13 undergraduate students who spent the past two years interviewing relatives and collecting recipes spanning six Asian ethnicities: Vietnamese, Chinese, Korean, Hmong, Cambodian and Filipino. Together with Wong, Nguyen edited the cookbook From Mothers to Mother: A Collection of Traditional Asian Postpartum Recipes, which will be released this month.

Khanh-Hoa Nguyen cooks caramelized pork belly with ginger, a Cambodian dish served to women who have just given birth. Grace Hwang Lynch for NPR ocultar legenda

Khanh-Hoa Nguyen cooks caramelized pork belly with ginger, a Cambodian dish served to women who have just given birth.

Grace Hwang Lynch for NPR

Wong, a retired physician, says that in her 30 years of working in public health clinics in San Francisco and Oakland, Calif., she saw a lack of nutritional guidance for low-income immigrants and refugees, who may be living far from their grandmothers and aunts and their native foods. Doctors would simply tell a breastfeeding woman to drink plenty fluids and eat more calories, Wong says. Even with her degrees in medicine and public health, Wong doesn't dismiss the value of Asian folk remedies.

"In Western medicine, we don't pay enough attention to tradition. We just dismiss all that and start from scratch, because now we know what minerals and vitamins and molecules are," muses Wong.

She points out that the Chinese technique of braising pigs' feet with ginger and vinegar makes them especially nutritious. "The vinegar probably leeches out the calcium from the bones. That's what you need, the calcium. Women will have loss of bone mass from breastfeeding. In the old times, they could not verbalize it that way, but they knew that women who did this did better than women who didn't."

For Chinese Moms, Birth Means 30 Days In Pajamas

These traditional soups can be hard for younger or more assimilated women to swallow. Even though she spent her childhood in Vietnam, Nguyen's sister initially dismissed these stews. But worried that she might not produce enough milk, she gave them a try. "And it really helped my sister with breastfeeding," says Nguyen.

Soups play a big role in all six cultures represented in From Mothers to Mothers, although the recipes also include dishes such as Cambodian caramelized pork belly and Tulia clams with tomatoes and ginger. Nguyen and the other students interviewed family members to learn the cooking methods, and then practiced making them at Wong's home in the Berkeley Hills and at their own apartments.

"Sometimes we'd have to call mom," Nguyen laughs.

"When you say a 'pinch,' what is that?" Wong interjects.

Across the range of cultures and geography, some trends emerged. "Papaya is also used in Chinese postpartum recipes and Cambodian postpartum recipes," notes Nguyen. "Pork belly is also used in Vietnamese, Cambodian and Chinese cultures. Ginger is a very common postpartum ingredient."

And perhaps there is another ingredient in these stews which helps new mothers to recuperate: community. "The whole village would be there and people would be cooking and taking care of your baby," says Wong of the postpartum practices in pre-industrial China. "The mothers were really pampered."

After three semesters of research, the students recorded 30 recipes, each of them printed in English and in its native language. Students have also crowdfunded more than $7,300 to donate nearly 500 copies of the book to Bay Area clinics and nonprofit groups serving low-income Asian Americans.

From Mothers to Mothers will be sold at Eastwind Books in Berkeley and online. Wong hopes there will be a second phase to this project, perhaps to study postpartum food traditions of South Asia or the Middle East.


For Centuries, These Asian Recipes Have Helped New Moms Recover From Childbirth

Dr. Marilyn Wong serves green papaya and pigs' feet soup, a Vietnamese dish believed to fortify new mothers.

Grace Hwang Lynch for NPR

Khanh-Hoa Nguyen stirs a pot of green papaya and pigs' feet soup. The clear broth and pale green chunks of unripe melon are redolent with fish sauce, the way her own mother prepared the soup after Nguyen's sister gave birth.

After her second year at the University of California at Berkeley, Nguyen was spending the summer at her parents' home in Los Angeles, watching her mother prepare big pots of Vietnamese postpartum foods for her sister.

From Mothers to Mothers: A Collection of Traditional Asian Postpartum Recipes will be released in April by Eastwind Books of Berkeley. Khanh-Hoa Nguyen ocultar legenda

"I don't think I would have known if I didn't go home that summer," says Nguyen, who is now co-editing one of the most comprehensive English language cookbooks featuring traditional Asian foods for new mothers.

For generations, new Vietnamese mothers have eaten this stew, just as Korean mothers have downed bowls of seaweed soup and Chinese women have simmered pigs' feet with ginger and vinegar. The food traditions stretch back for centuries, part of the practice of resting for the first 30 days after giving birth that is common throughout Asia.

In Chinese, it's called zuo yuezi, or "sitting the month." Vietnamese refer to it as nằm ổ, literally "lying in a nest." The recipes for these foods are unlikely to be found in any cookbook. These postpartum tonics have traditionally been prepared by grandmothers and aunts the ingredients and techniques passed down orally.

When Nguyen returned to Berkeley that fall, she took a course in Asian American and Pacific Islander community health. In that class, Dr. Marilyn Wong put out a call for students who were interested in documenting Asian postpartum traditions. Nguyen not only volunteered to do research, but led a group of 13 undergraduate students who spent the past two years interviewing relatives and collecting recipes spanning six Asian ethnicities: Vietnamese, Chinese, Korean, Hmong, Cambodian and Filipino. Together with Wong, Nguyen edited the cookbook From Mothers to Mother: A Collection of Traditional Asian Postpartum Recipes, which will be released this month.

Khanh-Hoa Nguyen cooks caramelized pork belly with ginger, a Cambodian dish served to women who have just given birth. Grace Hwang Lynch for NPR ocultar legenda

Khanh-Hoa Nguyen cooks caramelized pork belly with ginger, a Cambodian dish served to women who have just given birth.

Grace Hwang Lynch for NPR

Wong, a retired physician, says that in her 30 years of working in public health clinics in San Francisco and Oakland, Calif., she saw a lack of nutritional guidance for low-income immigrants and refugees, who may be living far from their grandmothers and aunts and their native foods. Doctors would simply tell a breastfeeding woman to drink plenty fluids and eat more calories, Wong says. Even with her degrees in medicine and public health, Wong doesn't dismiss the value of Asian folk remedies.

"In Western medicine, we don't pay enough attention to tradition. We just dismiss all that and start from scratch, because now we know what minerals and vitamins and molecules are," muses Wong.

She points out that the Chinese technique of braising pigs' feet with ginger and vinegar makes them especially nutritious. "The vinegar probably leeches out the calcium from the bones. That's what you need, the calcium. Women will have loss of bone mass from breastfeeding. In the old times, they could not verbalize it that way, but they knew that women who did this did better than women who didn't."

For Chinese Moms, Birth Means 30 Days In Pajamas

These traditional soups can be hard for younger or more assimilated women to swallow. Even though she spent her childhood in Vietnam, Nguyen's sister initially dismissed these stews. But worried that she might not produce enough milk, she gave them a try. "And it really helped my sister with breastfeeding," says Nguyen.

Soups play a big role in all six cultures represented in From Mothers to Mothers, although the recipes also include dishes such as Cambodian caramelized pork belly and Tulia clams with tomatoes and ginger. Nguyen and the other students interviewed family members to learn the cooking methods, and then practiced making them at Wong's home in the Berkeley Hills and at their own apartments.

"Sometimes we'd have to call mom," Nguyen laughs.

"When you say a 'pinch,' what is that?" Wong interjects.

Across the range of cultures and geography, some trends emerged. "Papaya is also used in Chinese postpartum recipes and Cambodian postpartum recipes," notes Nguyen. "Pork belly is also used in Vietnamese, Cambodian and Chinese cultures. Ginger is a very common postpartum ingredient."

And perhaps there is another ingredient in these stews which helps new mothers to recuperate: community. "The whole village would be there and people would be cooking and taking care of your baby," says Wong of the postpartum practices in pre-industrial China. "The mothers were really pampered."

After three semesters of research, the students recorded 30 recipes, each of them printed in English and in its native language. Students have also crowdfunded more than $7,300 to donate nearly 500 copies of the book to Bay Area clinics and nonprofit groups serving low-income Asian Americans.

From Mothers to Mothers will be sold at Eastwind Books in Berkeley and online. Wong hopes there will be a second phase to this project, perhaps to study postpartum food traditions of South Asia or the Middle East.


For Centuries, These Asian Recipes Have Helped New Moms Recover From Childbirth

Dr. Marilyn Wong serves green papaya and pigs' feet soup, a Vietnamese dish believed to fortify new mothers.

Grace Hwang Lynch for NPR

Khanh-Hoa Nguyen stirs a pot of green papaya and pigs' feet soup. The clear broth and pale green chunks of unripe melon are redolent with fish sauce, the way her own mother prepared the soup after Nguyen's sister gave birth.

After her second year at the University of California at Berkeley, Nguyen was spending the summer at her parents' home in Los Angeles, watching her mother prepare big pots of Vietnamese postpartum foods for her sister.

From Mothers to Mothers: A Collection of Traditional Asian Postpartum Recipes will be released in April by Eastwind Books of Berkeley. Khanh-Hoa Nguyen ocultar legenda

"I don't think I would have known if I didn't go home that summer," says Nguyen, who is now co-editing one of the most comprehensive English language cookbooks featuring traditional Asian foods for new mothers.

For generations, new Vietnamese mothers have eaten this stew, just as Korean mothers have downed bowls of seaweed soup and Chinese women have simmered pigs' feet with ginger and vinegar. The food traditions stretch back for centuries, part of the practice of resting for the first 30 days after giving birth that is common throughout Asia.

In Chinese, it's called zuo yuezi, or "sitting the month." Vietnamese refer to it as nằm ổ, literally "lying in a nest." The recipes for these foods are unlikely to be found in any cookbook. These postpartum tonics have traditionally been prepared by grandmothers and aunts the ingredients and techniques passed down orally.

When Nguyen returned to Berkeley that fall, she took a course in Asian American and Pacific Islander community health. In that class, Dr. Marilyn Wong put out a call for students who were interested in documenting Asian postpartum traditions. Nguyen not only volunteered to do research, but led a group of 13 undergraduate students who spent the past two years interviewing relatives and collecting recipes spanning six Asian ethnicities: Vietnamese, Chinese, Korean, Hmong, Cambodian and Filipino. Together with Wong, Nguyen edited the cookbook From Mothers to Mother: A Collection of Traditional Asian Postpartum Recipes, which will be released this month.

Khanh-Hoa Nguyen cooks caramelized pork belly with ginger, a Cambodian dish served to women who have just given birth. Grace Hwang Lynch for NPR ocultar legenda

Khanh-Hoa Nguyen cooks caramelized pork belly with ginger, a Cambodian dish served to women who have just given birth.

Grace Hwang Lynch for NPR

Wong, a retired physician, says that in her 30 years of working in public health clinics in San Francisco and Oakland, Calif., she saw a lack of nutritional guidance for low-income immigrants and refugees, who may be living far from their grandmothers and aunts and their native foods. Doctors would simply tell a breastfeeding woman to drink plenty fluids and eat more calories, Wong says. Even with her degrees in medicine and public health, Wong doesn't dismiss the value of Asian folk remedies.

"In Western medicine, we don't pay enough attention to tradition. We just dismiss all that and start from scratch, because now we know what minerals and vitamins and molecules are," muses Wong.

She points out that the Chinese technique of braising pigs' feet with ginger and vinegar makes them especially nutritious. "The vinegar probably leeches out the calcium from the bones. That's what you need, the calcium. Women will have loss of bone mass from breastfeeding. In the old times, they could not verbalize it that way, but they knew that women who did this did better than women who didn't."

For Chinese Moms, Birth Means 30 Days In Pajamas

These traditional soups can be hard for younger or more assimilated women to swallow. Even though she spent her childhood in Vietnam, Nguyen's sister initially dismissed these stews. But worried that she might not produce enough milk, she gave them a try. "And it really helped my sister with breastfeeding," says Nguyen.

Soups play a big role in all six cultures represented in From Mothers to Mothers, although the recipes also include dishes such as Cambodian caramelized pork belly and Tulia clams with tomatoes and ginger. Nguyen and the other students interviewed family members to learn the cooking methods, and then practiced making them at Wong's home in the Berkeley Hills and at their own apartments.

"Sometimes we'd have to call mom," Nguyen laughs.

"When you say a 'pinch,' what is that?" Wong interjects.

Across the range of cultures and geography, some trends emerged. "Papaya is also used in Chinese postpartum recipes and Cambodian postpartum recipes," notes Nguyen. "Pork belly is also used in Vietnamese, Cambodian and Chinese cultures. Ginger is a very common postpartum ingredient."

And perhaps there is another ingredient in these stews which helps new mothers to recuperate: community. "The whole village would be there and people would be cooking and taking care of your baby," says Wong of the postpartum practices in pre-industrial China. "The mothers were really pampered."

After three semesters of research, the students recorded 30 recipes, each of them printed in English and in its native language. Students have also crowdfunded more than $7,300 to donate nearly 500 copies of the book to Bay Area clinics and nonprofit groups serving low-income Asian Americans.

From Mothers to Mothers will be sold at Eastwind Books in Berkeley and online. Wong hopes there will be a second phase to this project, perhaps to study postpartum food traditions of South Asia or the Middle East.


For Centuries, These Asian Recipes Have Helped New Moms Recover From Childbirth

Dr. Marilyn Wong serves green papaya and pigs' feet soup, a Vietnamese dish believed to fortify new mothers.

Grace Hwang Lynch for NPR

Khanh-Hoa Nguyen stirs a pot of green papaya and pigs' feet soup. The clear broth and pale green chunks of unripe melon are redolent with fish sauce, the way her own mother prepared the soup after Nguyen's sister gave birth.

After her second year at the University of California at Berkeley, Nguyen was spending the summer at her parents' home in Los Angeles, watching her mother prepare big pots of Vietnamese postpartum foods for her sister.

From Mothers to Mothers: A Collection of Traditional Asian Postpartum Recipes will be released in April by Eastwind Books of Berkeley. Khanh-Hoa Nguyen ocultar legenda

"I don't think I would have known if I didn't go home that summer," says Nguyen, who is now co-editing one of the most comprehensive English language cookbooks featuring traditional Asian foods for new mothers.

For generations, new Vietnamese mothers have eaten this stew, just as Korean mothers have downed bowls of seaweed soup and Chinese women have simmered pigs' feet with ginger and vinegar. The food traditions stretch back for centuries, part of the practice of resting for the first 30 days after giving birth that is common throughout Asia.

In Chinese, it's called zuo yuezi, or "sitting the month." Vietnamese refer to it as nằm ổ, literally "lying in a nest." The recipes for these foods are unlikely to be found in any cookbook. These postpartum tonics have traditionally been prepared by grandmothers and aunts the ingredients and techniques passed down orally.

When Nguyen returned to Berkeley that fall, she took a course in Asian American and Pacific Islander community health. In that class, Dr. Marilyn Wong put out a call for students who were interested in documenting Asian postpartum traditions. Nguyen not only volunteered to do research, but led a group of 13 undergraduate students who spent the past two years interviewing relatives and collecting recipes spanning six Asian ethnicities: Vietnamese, Chinese, Korean, Hmong, Cambodian and Filipino. Together with Wong, Nguyen edited the cookbook From Mothers to Mother: A Collection of Traditional Asian Postpartum Recipes, which will be released this month.

Khanh-Hoa Nguyen cooks caramelized pork belly with ginger, a Cambodian dish served to women who have just given birth. Grace Hwang Lynch for NPR ocultar legenda

Khanh-Hoa Nguyen cooks caramelized pork belly with ginger, a Cambodian dish served to women who have just given birth.

Grace Hwang Lynch for NPR

Wong, a retired physician, says that in her 30 years of working in public health clinics in San Francisco and Oakland, Calif., she saw a lack of nutritional guidance for low-income immigrants and refugees, who may be living far from their grandmothers and aunts and their native foods. Doctors would simply tell a breastfeeding woman to drink plenty fluids and eat more calories, Wong says. Even with her degrees in medicine and public health, Wong doesn't dismiss the value of Asian folk remedies.

"In Western medicine, we don't pay enough attention to tradition. We just dismiss all that and start from scratch, because now we know what minerals and vitamins and molecules are," muses Wong.

She points out that the Chinese technique of braising pigs' feet with ginger and vinegar makes them especially nutritious. "The vinegar probably leeches out the calcium from the bones. That's what you need, the calcium. Women will have loss of bone mass from breastfeeding. In the old times, they could not verbalize it that way, but they knew that women who did this did better than women who didn't."

For Chinese Moms, Birth Means 30 Days In Pajamas

These traditional soups can be hard for younger or more assimilated women to swallow. Even though she spent her childhood in Vietnam, Nguyen's sister initially dismissed these stews. But worried that she might not produce enough milk, she gave them a try. "And it really helped my sister with breastfeeding," says Nguyen.

Soups play a big role in all six cultures represented in From Mothers to Mothers, although the recipes also include dishes such as Cambodian caramelized pork belly and Tulia clams with tomatoes and ginger. Nguyen and the other students interviewed family members to learn the cooking methods, and then practiced making them at Wong's home in the Berkeley Hills and at their own apartments.

"Sometimes we'd have to call mom," Nguyen laughs.

"When you say a 'pinch,' what is that?" Wong interjects.

Across the range of cultures and geography, some trends emerged. "Papaya is also used in Chinese postpartum recipes and Cambodian postpartum recipes," notes Nguyen. "Pork belly is also used in Vietnamese, Cambodian and Chinese cultures. Ginger is a very common postpartum ingredient."

And perhaps there is another ingredient in these stews which helps new mothers to recuperate: community. "The whole village would be there and people would be cooking and taking care of your baby," says Wong of the postpartum practices in pre-industrial China. "The mothers were really pampered."

After three semesters of research, the students recorded 30 recipes, each of them printed in English and in its native language. Students have also crowdfunded more than $7,300 to donate nearly 500 copies of the book to Bay Area clinics and nonprofit groups serving low-income Asian Americans.

From Mothers to Mothers will be sold at Eastwind Books in Berkeley and online. Wong hopes there will be a second phase to this project, perhaps to study postpartum food traditions of South Asia or the Middle East.


For Centuries, These Asian Recipes Have Helped New Moms Recover From Childbirth

Dr. Marilyn Wong serves green papaya and pigs' feet soup, a Vietnamese dish believed to fortify new mothers.

Grace Hwang Lynch for NPR

Khanh-Hoa Nguyen stirs a pot of green papaya and pigs' feet soup. The clear broth and pale green chunks of unripe melon are redolent with fish sauce, the way her own mother prepared the soup after Nguyen's sister gave birth.

After her second year at the University of California at Berkeley, Nguyen was spending the summer at her parents' home in Los Angeles, watching her mother prepare big pots of Vietnamese postpartum foods for her sister.

From Mothers to Mothers: A Collection of Traditional Asian Postpartum Recipes will be released in April by Eastwind Books of Berkeley. Khanh-Hoa Nguyen ocultar legenda

"I don't think I would have known if I didn't go home that summer," says Nguyen, who is now co-editing one of the most comprehensive English language cookbooks featuring traditional Asian foods for new mothers.

For generations, new Vietnamese mothers have eaten this stew, just as Korean mothers have downed bowls of seaweed soup and Chinese women have simmered pigs' feet with ginger and vinegar. The food traditions stretch back for centuries, part of the practice of resting for the first 30 days after giving birth that is common throughout Asia.

In Chinese, it's called zuo yuezi, or "sitting the month." Vietnamese refer to it as nằm ổ, literally "lying in a nest." The recipes for these foods are unlikely to be found in any cookbook. These postpartum tonics have traditionally been prepared by grandmothers and aunts the ingredients and techniques passed down orally.

When Nguyen returned to Berkeley that fall, she took a course in Asian American and Pacific Islander community health. In that class, Dr. Marilyn Wong put out a call for students who were interested in documenting Asian postpartum traditions. Nguyen not only volunteered to do research, but led a group of 13 undergraduate students who spent the past two years interviewing relatives and collecting recipes spanning six Asian ethnicities: Vietnamese, Chinese, Korean, Hmong, Cambodian and Filipino. Together with Wong, Nguyen edited the cookbook From Mothers to Mother: A Collection of Traditional Asian Postpartum Recipes, which will be released this month.

Khanh-Hoa Nguyen cooks caramelized pork belly with ginger, a Cambodian dish served to women who have just given birth. Grace Hwang Lynch for NPR ocultar legenda

Khanh-Hoa Nguyen cooks caramelized pork belly with ginger, a Cambodian dish served to women who have just given birth.

Grace Hwang Lynch for NPR

Wong, a retired physician, says that in her 30 years of working in public health clinics in San Francisco and Oakland, Calif., she saw a lack of nutritional guidance for low-income immigrants and refugees, who may be living far from their grandmothers and aunts and their native foods. Doctors would simply tell a breastfeeding woman to drink plenty fluids and eat more calories, Wong says. Even with her degrees in medicine and public health, Wong doesn't dismiss the value of Asian folk remedies.

"In Western medicine, we don't pay enough attention to tradition. We just dismiss all that and start from scratch, because now we know what minerals and vitamins and molecules are," muses Wong.

She points out that the Chinese technique of braising pigs' feet with ginger and vinegar makes them especially nutritious. "The vinegar probably leeches out the calcium from the bones. That's what you need, the calcium. Women will have loss of bone mass from breastfeeding. In the old times, they could not verbalize it that way, but they knew that women who did this did better than women who didn't."

For Chinese Moms, Birth Means 30 Days In Pajamas

These traditional soups can be hard for younger or more assimilated women to swallow. Even though she spent her childhood in Vietnam, Nguyen's sister initially dismissed these stews. But worried that she might not produce enough milk, she gave them a try. "And it really helped my sister with breastfeeding," says Nguyen.

Soups play a big role in all six cultures represented in From Mothers to Mothers, although the recipes also include dishes such as Cambodian caramelized pork belly and Tulia clams with tomatoes and ginger. Nguyen and the other students interviewed family members to learn the cooking methods, and then practiced making them at Wong's home in the Berkeley Hills and at their own apartments.

"Sometimes we'd have to call mom," Nguyen laughs.

"When you say a 'pinch,' what is that?" Wong interjects.

Across the range of cultures and geography, some trends emerged. "Papaya is also used in Chinese postpartum recipes and Cambodian postpartum recipes," notes Nguyen. "Pork belly is also used in Vietnamese, Cambodian and Chinese cultures. Ginger is a very common postpartum ingredient."

And perhaps there is another ingredient in these stews which helps new mothers to recuperate: community. "The whole village would be there and people would be cooking and taking care of your baby," says Wong of the postpartum practices in pre-industrial China. "The mothers were really pampered."

After three semesters of research, the students recorded 30 recipes, each of them printed in English and in its native language. Students have also crowdfunded more than $7,300 to donate nearly 500 copies of the book to Bay Area clinics and nonprofit groups serving low-income Asian Americans.

From Mothers to Mothers will be sold at Eastwind Books in Berkeley and online. Wong hopes there will be a second phase to this project, perhaps to study postpartum food traditions of South Asia or the Middle East.


Assista o vídeo: Jakten på Kina bakom kulisserna (Novembro 2021).